Web Content Viewer
Cultura Inglesa Arquivos miles kane - Blog - Cultura Inglesa

Tag: miles kane

Dica de sexta – Arctic Monkeys e Miles Kanes ao vivo no Facebook

7 anos atrás ----- Blog

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=2SV422fSYE4[/youtube]

O esquenta para o final de semana de quem gosta de rock não poderia ser melhor!

É que, hoje, dois dos maiores nomes do rock britânico fazem um show especial na França, com transmissão ao vivo pela internet.

Quem curtiu o Cultura Inglesa Festival ano passado conhece bem um deles: Miles Kane! Então, quem quiser matar saudade do show do cara que incendiou o Parque da Independência ano passado, é só ficar ligado porque a partir das 17h ele sobe ao palco!

Já às 18h15, é a vez do Arctic Monkeys, banda preferida de 9 em cada 10 rockeiros da nova geração! Eles pintam pelo Brasil ainda este ano, então é uma boa oportunidade de conhecer o show do novo disco dos caras, o Suck it and See.

.
A transmissão do evento será feita através do site oficial da banda e pela página dos caras no Facebook.

A nossa dica de sexta-feira não poderia ser outra: aumente o som e curta o show destes dois nomes que agitam a cena britânica da nova música!

Para ajudar ainda mais a matar a saudade, fiquem com o clipe cool de Rearranje, do Miles Kane, aí no alto do post.
.

Saiba mais:

ArcticMonkeys.com

 

15CIF entre os melhores festivais do ano do Guia da Folha

7 anos atrás ----- Blog

O ano de 2011 foi bala para quem gosta de shows e festivais. Na lista dos melhores, está o 15CIF, que trouxe Gang of Four, Blood Red Shoes e Miles Kane para tocar de graça no Parque da Independência!

Essas três bandas que mostram diferentes aspectos da música britânica dividiram o palco com a apresentação de Cachorro Grande tocando The Who, além de The Mockers tocando a fase psicodélica dos Beatles.

O Festival ainda trouxe filmes ingleses inéditos para o Brasil, fez a mostra Monty Python no cinema, montou uma exposição de Ficção Científica no metrô, promoveu peças de teatro adulto, infantil e espetáculos de dança, além de exibições de arte.

Agora, no clima de listas de fim do ano, o Guia da Folha lançou uma enquete sobre os melhores festivais do ano. E, claro, o 15 CIF está lá!

Confira e vote no seu favorito! A gente, né? http://polls.folha.com.br/poll/1133510/

A imprensa também curtiu o domingo no Parque

8 anos atrás ----- Blog


.
O domingo no Parque da Independência foi histórico. Reunimos aqui o que a mídia falou para você saber como foi. Se você estava lá, aproveite para relembrar e descobrir os detalhes que te escaparam aos olhos!

 

Os shows do Miles Kane e do Gang of Four não passaram batidos pelo pessoal da maior publicação de rock.

.

O portal deu destaque para o incendiário show do Gang of Four, mas não deixou de comentar a apresentação do Blood Red Shoes, “que fez maravilhas com sua minimalista formação de bateria e guitarra”.

.

O pessoal do Terra prestou atenção ao “rock arrumadinho” do Miles Kane e à apresentação radical do Gang of Four. Mas, para eles, nada disso superou o show da própria plateia!

.

Eles não pararam de tirar fotos. Dê uma olhada e relembre!

.

O blogueiro Micael Delga não escondeu a satisfação de encontrar um evento gratuito e bem feito aqui em São Paulo.
.

Alexandre Matias, blogueiro e curador do Música no Parque do #15CIF, postou vídeos que ele mesmo fez no backstage do Festival.

 

Miles Kane aquece a noite no Parque da Independência

8 anos atrás ----- Blog

Miles Kane entrou no palco no Parque da Independência junto com o pôr-do-sol e um frio mais intenso. É, o clima está cada vez mais britânico por aqui.

Mas ao som de Kane, a noite ficou mesmo aconchegante. Parte do público curtiu as suas melhores baladas no gramado, no abraço de amigos e namorados. Os outros se aqueceram pulando na frente do palco – e com certeza depois do hit “Come Closer” ninguém mais pensava em procurar um agasalho.

Na grade, duas das meninas mais animadas com o músico de Liverpool vestiam camisetas do Oasis. Pois é, a pose de Miles Kane no palco tem um quê de Liam Gallagher, além de todas as semelhanças musicais.  Mas o jovem é um pouco mais doce do que o vocalista do extinto Oasis. “Vocês fazem a gente se sentir muito bem vindos”, diz o músico. “Espero que a gente ainda volte para cá”. Todos esperamos!

✰ Veja a galeria de fotos do show

Miles Kane

8 anos atrás ----- Sem categoria

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=V7g8zhk5KZM[/youtube]

Se você sabe quem são os Last Shadow Puppets, o Arctic Monkeys e o Noel Gallagher, vai embarcar de bom grado no som do Miles Kane.

Amigo e colaborador de toda essa gente boa citada aí em cima, Miles Kane está lançando seu primeiro disco, The Colour of the Trap, e vem ao Brasil com seu projeto solo pela primeira vez.

O cantor e compositor britânico, ex-vocalista do Rascals e ainda frontman do Last Shadow Puppets, desembarca no dia 29 de maio em São Paulo para tocar um rock’n roll que vai te transportar direto para o centro de Sheffield, coração do novo rock inglês e terra do Pulp, Arctic Monkeys, Human League e tantos outros inquietos. Não dá não pra não curtir.
.

Saiba + sobre o Miles Kane:

Site oficial
Facebook

Twitter
Fotos
Vídeos

 

Classificação: livre

IMPORTANTE

Informamos que é proibida a entrada com materiais cortantes, perfurantes ou pontiagudos, copos de vidro, objetos de malabares, guarda-chuvas, latas de todas as naturezas, garrafas plásticas superiores a 500 ml, bebidas alcoólicas, e quaisquer outros itens que possam comprometer a segurança do público ou que sejam incompatíveis com os propósitos deste evento.

O Parque da Independência é um Patrimônio Histórico, colabore com a sua preservação e aproveite os shows do domingo!

McGee falou e disse no StudioSP

8 anos atrás ----- Blog

O cara estava lá. Elegante, exibindo um belo chapéu pra cobrir metade da careca, — bem diferente dos idos anos de Madchester — um sobretudo vinho, meio pro roxo e um sapato que denunciava: “eu sei o que é estilo, cara”.

Alan Mcgee esteve no Studio SP na sexta à tarde, antes de comandar as pick-ups na primeira balada do Música na Noite do #15CIF, para um bate papo com fãs de música britânica, fãs do Oasis e, principalmente, fãs do próprio McGee.

O bate papo mostrou um cara extremamente simpático, e bem surpreso: “Aqui todo mundo sabe o que eu fiz!“

McGee falou mal das bandas de Londres e disse que, atualmente, o guitarrista que ele mais gosta é o Neil Young, e que não conhece nem Vaccines e nem James Blake!

Veja os melhores momentos do bate-papo:
.

Sobre a atual cena musical londrina

— As bandas de Londres não prestam. Eles estão mais preocupados com as calças que vão vestir do que com o que estão tocando. A música mesmo vem de Glasgow, Manchester e Liverpool. As bandas vão pra Londres pois precisam da cena de lá, eu saí da Escócia pois não havia nada acontecendo lá.
.

Sobre a eleição de melhor disco do ano de 1991 da revista Spin,colocando o “Bandwagonesque”. do Teenage Fanclub, à frente do “Nevermind” do Nirvana.

— Não, eu não concordo com a Spin. Veja bem, eu amo Norman Boy, mas, cara, o Nirvana são os malditos Beatles, cara!
.

Sobre o novo disco do Noel Gallagher, ex-Oasis:

— Eu escutei as demos do novo do Noel e é genial. Eu não sei como ele vai gravar aquilo, como vai aparecer no disco, mas é fantástico. Lembra um pouco o Neil Young.
.

Sobre se a banda nova do Liam é a melhor banda do mundo, ocupando o posto do Oasis:

— Se eu fosse Liam Gallagher diria que sim! Hehe, mas, sério, eu acho que é uma bela banda, o problema é que tudo que eles gravem agora vai ser colocado numa caixa “parecido com Oasis” pois a comparação é inevitável.
.

McGee ainda teve tempo de dar a benção a Miles Kane:

— Ele é ótimo! Eu nunca compro discos, sabe? Eu ganho, eu baixo, nunca compro. O dele eu comprei!.

Que honra, hein Miles?

Siga a dica do o show do Miles Kane no domingo. Mais infos aqui!

 

Um guia para você aproveitar o domingo no Parque

8 anos atrás ----- Blog

Você já encontrou aqui vários motivos para não deixar de ver nenhuma das bandas que vão tocar no Parque da Independência no domingo. Agora a gente te dá as dicas para aproveitar ao máximo todos esses momentos preciosos.

  • Vá de metro! As estações Sacomã e Alto do Ipiranga, da linha verde do metrô, não ficam muito distantes do parque – de lá, pegue um ônibus e em menos de15 minutos você já avista o Museu do Ipiranga. Veja.

(Aproveite para passar na Estação Paraíso e conferir a exposição de ficção científica do 15º Cultura Inglesa Festival!)

  • Se você não é de São Paulo, fique de olho no que seu vizinhos estão tramando. Tem gente organizando excursões para o Festival!
  • Dentro do parque, não haverá venda de comida. Leve uma toalha e prepare o seu pic-nic. A água é por nossa conta!
  • A previsão diz que não vai chover! Mas se você achar melhor se prevenir, leve uma capa de chuva. Por questões de segurança, não será permitida a entrada com guarda-chuva. Não leve também copos de vidro, garrafas plásticas superiores a 500 ml, bebidas alcóolicas e qualquer tipo de objeto cortante.
  • Adote a pontualidade britânica, você não vai querer perder nenhum momento desse festival, vai? Para se organizar, utiliza o botão “salvar na agenda” que a gente colocou na página de todos os eventos aqui no site. No passaporte do festival também há detalhes sobre toda a programação.
    .

Veja a programação completa das bandas do Música no Parque

Miles quem?

8 anos atrás ----- Blog

.
“Já tava tocando com o Miles há algum tempo, e a gente tinha comentado que sentia falta de músicas mais grandiosas”.

Foi mais ou menos isso que Alex Turner, vocalista dos Arctic Monkeys, disse quando o disco do Last Shadow Puppets foi lançado e alcançou o topo da parada no Reino Unido.

Miles Kane é um prodígio do rock inglês. Ele era o vocalista do The Rascals em 2007 quando fizeram os shows de abertura da turnê do Arctic Monkeys.

.
Dupla dinâmica

Miles conheceu Alex, e eles começaram a tocar juntos. Gravaram e lançaram o primeiro disco do Last Shadow Puppets em 2008 – com direito a show surpresa no Glastonbury daquele ano, com a presença de Jack White! (Aqui tem um monte de vídeos desse dia).

Não bastasse tudo isso, Miles dissolveu os Rascals e resolveu tocar sua carreira solo – o primeiro disco chama-se “Color Of The Trap” (ouça aqui!), tem participação do ex-Oasis Noel Gallagher, do Gruff Rhys, vocal do Superfurry Animal, e, é claro, de Alex Turner.

Se liga no single Come Closer:

[youtube width=”650″ height=”325″]http://www.youtube.com/watch?v=skF1xARwf_8[/youtube]

O disco saiu dia 9 de maio e tem datas pra rodar a Europa junto do Beady Eye, nova banda de Liam Gallagher – o irmão do Noel. Antes disso, porém, Kane vem ao Brasil, tocar no #15CIF, dia 29 de maio, no Parque da Independência!
.

Saiba mais

Miles Kane e as outras atrações do Música no Parque do 15CIF

 

Nosso rock inglês vai muito além do Britpop

8 anos atrás ----- Blog

[youtube width=”650″ height=”300″]http://www.youtube.com/watch?v=sob1cUVd-vE[/youtube]

.
Por
Alexandre Matias*

O rock inglês sempre foi visto como uma espécie de primo sisudo e erudito do rock americano.

Explico: se os Beatles não tivessem ouvido o rock americano dos anos 50 e resolvessem formar um grupo que seguia a tradição da música pop britânica da época, talvez nunca tivessem se tornado a maior banda do século 20.

Mas, do mesmo jeito, o rock não seria um fenômeno global e se esconderia nas notas de rodapé da história da cultura popular ocidental, uma fusão entre rhythm’n blues e country music que durou só o tempo de Elvis Presley virar ídolo nacional e entrar para o exército.

Mas foram os Beatles que mostraram para o resto do mundo que a promessa do rock – “qualquer um pode tocar guitarra” – não tinha morrido com Buddy Holly.

Foram eles que mostraram inclusive para os Estados Unidos que o rock – e não apenas o rock’n’roll dos anos 50 – podia ir além da cruza entre country e blues e dominar o mundo.

No vácuo dos Beatles, uma geração inteira de bandas inglesas cruzou o Atlântico e dominou o mundo.

E abriu espaço para novos desdobramentos do gênero – o que começou lentamente a mudar a cara do rock inglês, pois foi a partir desses novos braços do rock (a psicodelia, o rock progressivo, o glam rock) que a música do Reino Unido foi ganhando ares mais sofisticados e menos crus.

Justo a Inglaterra que deu ao mundo um clássico da demolição sonora – o Who.
.

.
Os EUA começaram a exigir de volta a paternidade do rock – Bob Dylan batizou o disco em que assumiu a guitarra elétrica de Bringing it All Back Home (trazendo tudo de volta pra casa) e logo grupos como Stooges, MC5, Modern Lovers e o Velvet Underground sedimentavam o caminho para o nascimento do punk – e mesmo com esse gênero tendo seus maiores nomes nascidos na Inglaterra (Sex Pistols e Clash), a crueza e a qualidade direta do rock voltou para os EUA.

A ponto de todo o novo rock surgido no século 21 ser primordialmente americano, com bandas como Strokes, White Stripes, Interpol e Rapture sendo saudadas como principais nomes do novo rock, mesmo que elas se inspirassem abertamente em bandas inglesas, principalmente do punk e do pós-punk.

O 15º Cultura Inglesa Festival tenta reestabelecer a espontaneidade do rock inglês para muito além do britpop, em palco armado no Parque da Independência.

Além de três bandas que ganharam o concurso interno de bandas da escola, escolhi artistas que capturem a força e a energia de um recorte deste rock inglês que pouco nos vêm à memória, pela onipresença do rock americano.
.

.
Duas bandas nacionais começam a contar essa história tocando clássicos dos anos 60: os gaúchos do Cachorro Grande visitam o grupo The Who e os Mockers (3/5 do Cidadão Instigado) voltam aos Beatles depois da psicodelia.

Depois duas novas atrações inglesas, ainda mais jovens do que a geração dos Strokes, sobem ao palco. A dupla Blood Red Shoes é o avesso dos White Stripes – um cara na bateria e uma menina na guitarra, e na minha opinião deixam Jack White no chinelo.

Miles Kane fez dupla com o “arctic monkey” Last Shadow Puppets e agora lança seu primeiro disco solo, depois de chamar atenção em 2010 com o hit “Inhaler”, uma das melhores músicas do ano passado.

E concluindo a apresentação, os papas do pós-punk Gang of Four vêm ao Brasil pela segunda vez mostrar a fonte de onde Strokes, Interpol e outras bandas já decanas de Nova York beberam em seus primeiros dias.

Misturando punk, funk e política, eles também trazem músicas do novo álbum, “Content”, o primeiro em quinze anos.

É uma Inglaterra bem fora dos padrões ingleses que estamos acostumados a ouvir por aí. Ainda bem.
.

✰ Veja a programação completa do Música no Parque

*Alexandre Matias é um dos curadores do 15º Cultura Inglesa Festival

INSTAGRAM

49 anos atrás
@