Web Content Viewer
metrô – Blog – Cultura Inglesa

Tag: metrô

TOP 5 – Intervenções no metrô londrino

5 anos atrás ----- Blog Top 5

O metrô de Londres, sem dúvida, é bem humorado. Quando não é a TFL (órgão responsável pelo transporte na cidade) aprontando das suas, são os passageiros engraçadinhos com espirituosas intervenções urbanas. Nos últimos dias, diversas dessas intervenções pintaram pelas redes, mas essas ações já acontecem há anos. Selecionamos nossas cinco preferidas no… TOP 5 – Piadinhas de usuários do metrô londrino!

Top5  This Fire!

underground_fire

Central Line (a linha vermelha) em chamas!

Top4Não se esqueça do iPod

underground_ipod

“iPods devem ser utilizados durante todo o tempo. Se você não tiver um iPod, jogue no seu smartphone, leia um jornal ou finja que está dormindo”.

Top3 Não encare

underground_stop staring

“Pare de encarar”. Falta grave na cultura britânica…

Top2 Desculpa por pedir desculpas

underground_apologise

“Pedimos desculpas pelo fato de que todas as desculpas pela superlotação crônica deste trem serem vazias e sem sentido” (brincadeira com o excesso de “sorry” dos avisos oficiais)

Top1 Solidão urbana

underground_solitude

“Não reconheça outros passageiros ou mantenha contato visual por mais de dois segundos. Por favor, respeite a solidão urbana”

Mais desses adesivos aqui!

TOP 5 – Mapas alternativos do metrô londrino

5 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa

O metrô de Londres, além de ser copiado no mundo inteiro, é constantemente parodiado (semana passada, fizemos um post falando sobre sua história).

Mas hoje é dia de… Top 5! Com vocês, o Top 5 – Mapas alternativos do metrô londrino:

 

 Top5  Mapa ao vivo

 print mapa metro

Nesse site, você pode ficar vigiando onde estão os trens de todas as linhas do metrô londrino. Ao vivo!

 

Top4 Super Metrô Bros

 

Embora pareça mais simples do que os outros (por não conter todas as linhas do metrô), esse mapa aqui é bem mais difícil e cheio de obstáculos… 

 (Fonte: londonist.com)

 

Top3 A Londres de Harry Beck

fonte i.imgur.com (2)

 

Para quem nunca percebeu que o mapa de Harry Beck usa linhas retinhas para ilustrar as linhas sinuosas do metrô, essa imagem é bem didática: nela, conseguimos ver como teria que ser o mapa de Londres para que tudo fosse tão retinho e bonitinho como os britânicos estão acostumados a ver no underground. Só para ter noção, o mapa de Londres de verdade tem essa cara, um poooouco mais tortinha do que o mapa ali de cima.

 (Fonte: i.imgur.com)

 

Top2 Mapa do futebol

cultura

 

A Copa do Mundo tá chegando e o governo britânico resolveu imitar o Festival e lançou um mapa na versão futebol! Esse da foto é a versão brasileira, que esteve em exposição no 16CIF. Uma das linhas mostra copas do mundo, outra goleiros, outra artilheiros, e por aí vai.

 

Top1 Mapa-múndi Harry Beck style

 

fonte i.imgur.com

 

Assim como o mapa nº 3 na nossa lista, esse aqui é bem útil para quem quer entender como o mapa “real” é alterado para que as linhas do metrô fiquem tão retas, e as estações, tão igualmente espaçadas entre si. Aqui, as carinhas dos continentes estão bem diferentes do que estamos acostumados a ver, para que o mundo todo esteja interligado pelas linhas retinhas do underground. O que lembra essa outra piadinha do metrô de Londres. Ah, o humor britânico…

(Fonte: i.imgur.com)

 

Outros mapas malucos: 

O mapa de metrô do Doctor Who

O mapa circular

O mapa do que é realmente underground

O mapa futurista (e quase apocalíptico)

O mapa que mostra quais estações têm banheiros (sempre útil)

O mapa do metrô… da galáxia

O mapa que mostra o preço do aluguel

 

Por que o mapa dos principais metrôs do mundo são inspirados no de Londres

5 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa

metro antes metro depois

Sabia que, assim como o metrô em si, a origem do mapa do metrô de São Paulo é inglesa?

A gente está sempre atrasado ou esmagado demais para pensar no design desses mapas, mas, sim, a solução criada na Inglaterra em 1931 para se dispor as linhas do Underground de forma inteligente e inteligível foi revolucionária e até hoje é venerada por designers e replicada nos transportes públicos do mundo todo. 

Foi um próprio funcionário do metrô o criador desse diagrama. Harry Beck se ligou de que o mapa do underground não precisava informar a seus usuários as exatas localizações físicas de cada estação. Por isso, fez com que as todas as linhas de trem se tornassem linhas também no papel: os percursos, em seu mapa, passaram a ser ilustrados verticalmente, horizontalmente, ou numa diagonal de 45º (saiba mais sobre o “o homem por trás do mapa”).

“Harry Beck foi genial porque sintetizou as informações no mapa de um jeito nunca visto. Ele sacou que o mais importante era a relação das linhas entre si, que linha baldiava, etc”, comenta Rodolfo França, diretor de arte da revista Vida Simples e co-autor deste pôster-paródia do metrô de Londres exposto do #16CIF. 

Nas duas imagens acima dá para ver o antes e o depois: as linhas retas de Beck tornaram a leitura do mapa muito mais fácil. “Isso sem falar da aplicação de um código de cor para indicar as linhas, o que deixa tudo ainda muito mais navegável e direto”, completa Rodolfo.

O mapa, inicialmente encarado com desconfiança pela companhia de transportes da cidade, teve sucesso imediato com o público.

Veja abaixo os mapas de São Paulo, Madrid e Paris, todos inspirados no de Londres:

 

 metro 

madrid-map-small (1)

Paris-Metro-Map-4

 

Invasão britânica no metrô: The Dark Jokes no Paraíso!

6 anos atrás ----- Blog Shows

.

darkjokes3

.

O sucesso foi tanto que o The Dark Jokes resolveu estender a viagem pelo Brasil e fazer mais shows no 17° Cultura Inglesa Festival. E agora você vai ter mais duas chances de conferir o som desses escoceses que, apesar do pouco tempo de carreira, já angariaram fãs por aqui.

Nesta quinta (20 de junho), a partir das 19h30, eles fazem um pocket show na estação de metrô Paraíso (linha Azul/Verde). Com fácil acesso e de graça! É um “teaser” pro grande show de domingo no Memorial da América Latina com a Kate Nash, Magic Numbers, Bonde do Rolê e companhia (já tem ingresso? Pegue aqui).

Se for dar um pulo na estação Paraíso, aproveite e confira também as exposições de cultura de rua que estão rolando no #17CIF. Pra te ajudar, já montamos um roteirinho completo:
.

Pocket show The Dark Jokes
Estação Paraíso (linha Azul/Verde) – 19h30

Arte de rua. Arte na rua!
Estação Palmeiras-Barra Funda (linha Vermelha)

Diversão nas ruas
Estação Santa Cecília (linha Vermelha)

Reocupe as ruas! 
Estação Tatuapé (linha Vermelha)

Das ruas para o mundo
Estação Vila Madalena (linha Verde)

 

No domingo (23), eles sobem ao palco principal do Festival no Memorial da América Latina! Além de Kate Nash, The Magic Numbers, Bonde do Rolê, Mind The Gap e Stay Jhonny… tem The Dark Jokes! Veja mais informações de como garantir o seu ingresso, aqui.

A cultura de rua também invade o metrô até o fim de junho!

6 anos atrás ----- Blog

.

Já deu uma passada pelas exposições de cultura de rua do 17° Cultura Inglesa Festival? Veja aqui um roteirinho com o que dá para você ver indo e vindo das estações do metrô: 

 

Vila Madalena (linha verde)

Intitulada “Das Ruas para o Mundo – Culturas Jovens e a Moda”, a exposição traz alguns dos estilos que desfilaram pelas cidades do mundo. Boa parte dos figurinos tem relação com a música: clubber, hipster etc. Por lá, você pode se “enquadrar” em alguns deles e ainda criar o seu próprio modelito numa lousa interativa. 

Vila Madalena

.

Barra Funda (linha Vermelha)

O tema da mostra é a arte urbana. “Arte de Rua. Arte na Rua!” traz um pouco da história do grafite, começando pela origem da técnica, passando pela invenção do spray, até os dias atuais. Fotos e textos explicativos ajudam a compor essa linha do tempo marcada por nomes como Nick Walker, convidado do #17CIF que vem para o Brasil participar de um bate-papo!

Barra-Funda

.

Tatuapé (linha Vermelha)

“Reocupe as ruas!” trata dos movimentos de ocupação do espaço público que ocorreram na Inglaterra e/ou no Brasil. Barraquinhas de feira e placas de sinalização ajudam a compor o cenário. Entre ações apresentadas está o “Occupy”, que surgiu durante a crise financeira de 2011, e é apresentada por meio de imagens e vídeos no telão.

Tatuapé

.

Santa Cecília (linha Vermelha)

Uma instalação feita de skates, banquinhos e até jogo da amarelinha fazem parte da exposição “Diversão nas ruas”. Nos painéis são abordados as principais brincadeiras e esportes que acontecem nas ruas de todos os cantos do planeta. Tem Parkour, bike polo e street hockey, por exemplo.

Santa Cecília

.

Bookcrossing – seu livro viajando o mundo

6 anos atrás ----- Blog

.

bookcrossing---Jorunn-D

.

Nos dias de hoje, graças à internet, é possível baixar livros completos com apenas um clique! Porém, convenhamos, é muito mais emocionante encontrar um exemplar por aí, sem querer, com o bilhete de um desconhecido. Daí, você abre e a mensagem diz que “este livro pertence ao mundo, já passou por vários leitores e que, depois de lido, deve seguir viagem.”

Mais comum do que parece, a prática tem nome: bookcrossing! E é um dos assuntos abordados na exposição do 17º Cultura Inglesa Festival que entra em cartaz a partir de sexta (17 de maio), na estação de metrô Tatuapé.

 

Passa ou repassa?

Tudo começou em 2001, quando Ron Hornbaker estava com sua mulher navegando por um site que rastreia câmeras descartáveis perdidas pelo mundo. Já havia outro endereço que localizava notas de dólar em circulação nos Estados Unidos por seu número de série e era até bastante popular. Foi então que Ron teve um estalo: o que mais as pessoas gostaria de rastrear? Por que não livros?

Foi então que, algumas semanas depois, entrou no ar o famoso www.bookcrossing.com. O endereço alcançou fama: ganhou adeptos, virou pauta em programas e jornais e,em 2004, o termo “bookcrossing” já tinha até lugar reservado no dicionário!

O lance se resume, basicamente, a deixar um livro em local público para que outras pessoas o encontrem, leiam e o repassem novamente. A meta é transformar o mundo em uma grande biblioteca, acessível a todos. E os lugares prediletos dos adeptos da prática, que não se contenta em ver os livros nas convencionais estantes, são bancos de praças, transportes públicos, cafés etc. Pode ser qualquer espaço em que o livro esteja bem guardado e corra o risco de ser achado por alguém.

.

livro-esquecido-no-banco

.

Cadê?

Participar desse tipo de ação é simples e pode ser feito por qualquer um, em qualquer lugar do planeta. A comunidade em torno do bookcrossing se espalhou por aí e alimenta blogs, foruns e convenções anuais em vários países.

Para conseguir rastrear seu exemplar, depois de soltá-lo por aí, basta cadastrar o livro em um dos sites relacionados à prática. No Brasil existem, por exemplo, o BookCrossing Brasil e o Livro Livre. Ah, também é possível deixá-los em “zonas oficiais” – onde os livros são deixados propositalmente, com o consentimento do estabelecimento. ´É o caso do Lunático Café (Rio de Janeiro) e da Casa das Rosas (São Paulo) , entre outros.

Gostou? Estão dá uma passada lá na exposição e descubra outros movimentos que ganharam as ruas do mundo. Para mais informações é só acessar a nossa agenda.

Street Hockey – reúna os amigos e vá pra rua se divertir!

6 anos atrás ----- Blog

.

street-hockey-pb

.

A partir de sexta (17 de maio) quem passar pela estação de metrô Santa Cecília vai esbarrar com a exposição do 17° Cultura Inglesa Festival que trata sobre os esportes de rua. E tem de tudo! Começando por brincadeiras que vêm desde os tempos de sua bisa, como o jogo da amarelinha ou bolinhas de gude, até os mais moderninhos e aventureiros como o street hockey.

Este último, por questões de espaço e segurança, não poderá ser praticado no local. Então vamos explicar um pouco como funciona e nas próximas semanas já dá para convidar os amigos para uma partida no parque ou numa rua tranquila.

 

Quente ou frio?

Não à toa o nome é familiar, street hockey é uma versão do tradicional hockey jogado no gelo. Ele é muito popular em regiões mais quentes da Europa e no Estados Unidos e também durante os verões canadenses. O motivo é óbvio: não tem clima para a pista de gelo. 

A origem exata do street hockey é um tanto incerta. Dizem que o esporte começou a ser praticado no início do século XX, quando algumas ruas norte-americanas estavam sendo pavimentas. Porém, foi apenas na década de 1970 que Raymond W. Leclerc teria estabelecido algumas regras para o jogo.

Apesar disso, ainda hoje, o estilo de uma partida de street hockey varia bastante de um lugar para o outro. Isso porque cada grupo estabelece o que é ou não permitido durante o tempo em que a pequena bola de plástico (e não um disco) está rolando.

.

 [vimeo http://vimeo.com/27102580]

.

Preliminares

Essa modalidade é praticada com patins sobre rodas, também conhecido por ” roller skating” e, geralmente, os dez jogadores (cinco de cada time) usam pouco ou nenhum equipamento de proteção. Então, o contato físico bruto tende a ser proibido. A meta para vencer é a mesma do futebol: marcar o maior número possível de gols no adversário.

No entanto, não há impedimentos, a equipe pode usar todo a área (inclusive atrás do gol) para se movimentar e é preciso encaixar a bola numa região limitada a 1,05 m de altura por 1,70 m de largura. O bom deste tamanho é que dá para transportar e montar as traves com maior facilidade.

 

Valendo

O jogo tem dois tempos de dez minutos e pode ter início de duas maneiras. A primeira, chamada de “NHL face-off” consiste na disputa entre dois jogares que batem seus tacos (sticks) um contra o outro três vezes dizendo “N”, “H”, “L” e, na última letra, reivindicam a posse da bola. Ou então, uma das equipes começa com a posse de bola atrás do gol, como acontece em jogos de basquete após uma cesta.

É penalty se alguém tira o gol do lugar, pega a bola com a mão na área ou comete falta pelas costas. As outras punições vão desde dois minutos fora do jogo até expulsão, de acordo com a gravidade da falta.

.

Pietro-Izzo

.

Agora que você já está manjando sobre street hockey, passa lá pela exposição e veja os outros esportes que dá para jogar na sua com os seus amigos. Para mais informações acesse a nossa agenda.

INSTAGRAM

49 anos atrás
@