Web Content Viewer
Inglesa – Página: 3 – Blog – Cultura Inglesa

Tag: Inglesa

Começou!!! Veja o que rola no Festival este ano e tire suas dúvidas

6 anos atrás ----- Blog

.

A invasão britânica começou! Veja abaixo o vídeo oficial do Festival que conta o que vai rolar durantes os próximos 45 dias. Dá o play! E depois, embaixo, espia só a beleza que ficou o pôster dessa edição! A arte é assinada pelo famoso ilustrador Indio San.

Se você tiver alguma dúvida sobre os eventos e ingressos do #17CIF, entre aqui no nosso FAQ.

E não deixe de mergulhar na programação para salvar na agenda suas atrações favoritas!

.

.

poster_17cif 

 

Grafite, ocupando as ruas e invadindo o metrô durante o 17CIF

6 anos atrás ----- Blog

.

Spray_can_action---THOR

.

Moda, esporte e movimentos que ocupam as ruas pelo mundo aparecem no 17º Cultura Inglesa Festival. Porém, a programação de exposições não estaria completa sem abordar a tal da street art. Pano de fundo e, muitas vezes, protagonista quando o assunto é cultura urbana, a arte espalhada pelos portões, placas e muros da cidade invade a estação de metrô Palmeiras-Barra Funda a partir de sexta (17 de maio).

Por lá você confere o trabalho de artistas nacionais e britânicos que fizeram de seus traços públicos obras conhecidas mundialmente. É o caso de Nick Walker, por exemplo, que nesta edição do Festival passa por aqui para bater um papo com a gente sobre o assunto. Se você ainda não sabe de quem estamos falando, dá uma olhada numa amostra do trabalho do cara aqui.

 

Obra-pública

Stickers, pichações, lambe-lambes e muitas outras ações acontecem no espaço público. Entre todos estes tipos de intervenção, a que mais tem ganhado espaço na mídia e virado a queridinha dos curadores e compradores, é o grafite. E sua história vai muito além da invenção do spray, em 1949, acredite.

Graffiti, do italiano, plural de graffiato (“riscado”). Em português: grafite. Se aplica a toda e qualquer obra produzida por riscar um desenho em uma superfície. Ou seja, o grafite tem origem lá nas pinturas rupestres, quando nem havia algo parecido com uma cidade. O conceito foi evoluindo ao longo da história e inclui a passagem por uma antiga cidade grega, que atualmente integra a Turquia.

Próximo a uma passarela está uma marca de mão, que lembra um coração, junto a uma pegada e um número. Guias locais dizem que é um anúncio de prostituição da época e indicaria a existência de um bordel pelos arredores. Especificidades à parte, o graffiti nunca deixou de ser uma forma de expressão.

.

clapton-is-god

.

Em 1967, um admirador do guitarrista Eric Clapton escreveu com spray a frase “Clapton is God” na estação de metrô de Islington (Londres). Alguém fotografou a mensagem no momento em que um cão estava urinando na parede e a imagem ganhou o mundo, tornando-se um marco.

Alguns anos depois, o grafite ganhou status de revolucionário quando foi associado ao movimento punk. Além das frases de protesto espalhadas por aí, várias bandas (como Black Flag) estampavam seus nomes por aí – até hoje as paredes dos locais onde aconteciam os shows são lembradas.

Nas décadas seguintes o graffiti se disseminou e fez escola em vários outros cantos do planeta. É o caso do Brasil, na década de 1980, com artistas como Alex Vallauri (1949-1987), Carlos Matuck e grupos como o “Tupi Não Dá” em São Paulo, por exemplo.

Agora nem é preciso dizer a quantas anda nosso grafite, não mesmo? Quem nunca ouviu falar de Osgemeos ou do Zezão? Esses e vários outros nomes aparecem lá na exposição Arte de Rua. Arte na Rua! Aproveita que é fácil de chegar, é no metrô!

Tire suas dúvidas aqui no FAQ do 17º Cultura Inglesa Festival

6 anos atrás ----- Blog

.

faq1

Se não achar sua dúvida sobre os eventos do Festival aqui nesta lista, deixe sua pergunta nos comentários abaixo que a gente responde.

.
– Todos os eventos do Festival são abertos ao público e gratuitos?

R: Todos os eventos são abertos ao público. E quase todos são gratuitos. As únicas exceções são: as exposições, onde é necessário a entrada no metrô, e a balada no MIS que vai custar R$ 14 (meia R$ 7).

– Haverá distribuição de ingressos para os demais eventos do Festival?
R: Sim, com uma hora de antecedência no local no caso de exibição de filmes, bate-papos, espetáculos de dança e teatro. Para oficinas, workshops e bike tour será necessária a inscrição prévia. Por isso, é bom checar as informações de cada atividade.

– Como me inscrevo para as oficinas que acontecem no lounge do Memorial da América Latina, em São Paulo?
R: Diferentemente dos lounges que rolam no interior (veja logo abaixo, no próximo tópico), as oficinas em São Paulo serão rotativas e não precisam de inscrição prévia. Cada dinâmica de criação e aplicação do conteúdo criado terá duração de 30 a 40 minutos e o público será rotativo. É só chegar!

– Quais as exclusividades que alunos e staff da Cultura Inglesa vão ter durante o Festival?
R: Alunos e staff da Cultura Inglesa têm direito à retirada de ingressos e inscrições antecipadas. Além disso, têm direito a ingressos gratuitos para a balada do MIS-SP.

– Qual a classificação etária dos eventos?
R: A maioria dos eventos é livre, mas cada um tem sua classificação indicativa. Navegue pela programação para saber qual a classificação do evento que você quer ver.

– Como é o acesso para pessoas portadoras de necessidades especiais ou com mobilidade reduzida?
R: A maioria dos espaços tem acesso para pessoas portadoras de deficiência. O restante está em processo de adaptação. Confira a lista completa dos espaços: https://blog.culturainglesasp.com.br/blog/?p=12664 

 

showsSP

– Tem dúvidas sobre ingressos? Acesse aqui.

– Como eu chego no Memorial da América Latina?
R: Dê preferência, ao transporte público. Não haverá estacionamento oficial do Festival. A estação do Metrô mais próxima é a Palmeiras-Barra Funda (linha Vermelha)!

– Qual o horário da abertura dos portões?
R: Os portões serão abertos às 11h e a primeira banda sobe aos palcos às 13h para dar início ao line-up. A entrada será permitida até 19h.

– Como será o acesso ao local do show dentro do Memorial?
R: A entrada do público será no portão 1.

– Haverá acesso para portadores de necessidades especiais?
R: Sim, no portão 1 e em todas as saídas.

– Posso entrar com bebida ou comida?
R: Sim, e também haverá praça de alimentação. Entretanto, não haverá venda e nem será permitida a entrada de bebidas alcoólicas. Estão liberados alimentos industrializados com embalagens lacradas originalmente (fechados), como salgadinhos e bolachas. Alimentos manipulados, sem data de validade específica ou ainda embalagens abertas, podem ser proibidos por questões de segurança. É proibida também a entrada com latas, garrafas, objetos de vidro etc. Água só em embalagens plásticas de 200ml.

– Posso levar a minha câmera para o festival?
R: Sim, desde que não sejam câmeras profissionais.

– O que mais eu posso levar, além do meu ingresso e documento?
R: Previna-se, você pode levar na sua mochila ou bolsa: capa de chuva, protetor solar, canga e boné ou chapéu. Também é permitida a entrada com remédios, mas apenas com receita médica e/ou de venda livre.

– O que não devo levar?
R: É proibida a entrada com: animais, cadeiras, ou bancos, guarda-chuvas, objetos, de vidro e metal, como garrafas e latas, máquina fotográfica e câmera profissionais, objetos cortantes (facas, canivetes, alicates, tesouras), bebidas alcoólicas, drogas de quaisquer espécies, inclusive remédios sem autorização ou receita médica.

– Não vou levar lanche nem bebida. Tem praça de alimentação no local?
R: Sim. Entretanto, não serão vendidas e não será permitida a entrada de bebidas alcoólicas.

– Quais serão as formas de pagamento na praça de alimentação? Há caixa eletrônico no local?
R: As formas de pagamento são: dinheiro e cartão de débito. Não haverá caixa eletrônico no local.

 

showssantos

– Os ingressos são gratuitos? Como consigo o meu?
R: Sim, os ingressos serão gratuitos. A distribuição será feita com uma hora de antecedência, no local, nas cidades de Campinas, Sorocaba e São José dos Campos. Em Santos, a retirada de ingressos pode ser feita na bilheteria do SESC a partir do dia 04/06. Todos os lounges de rua estão sujeitos à lotação e têm circulação livre, exceto em Campinas onde fará parte do projeto Domingo – Feira Contemporânea com preço sugerido a R$ 15 (contribuição não obrigatória). 

– Quantos ingressos eu posso retirar? Dá pra fazer reserva?
R: Não há reserva de ingressos. Uma semana antes dos shows 30 % dos ingressos (cerca de 90 convites) já estarão disponíveis para a distribuição nas bilheterias dos: SESC Santos, Sebastian Bar (Campinas), Hocus Pocus (SJC) e Asteroid (Sorocaba). Cada pessoa pode retirar um ingresso.

– Qual a capacidade de público nos locais?
R: Em Santos, a comedoria do SESC abriga 450 pessoas; o Sebastian Bar, em Campinas, o Hocus Pocus, em São José dos Campos, e o Asteroid Bar, em Sorocaba, alocam 300 pessoas cada um.

– Qual a hora de início dos shows?
R: Os shows têm início 1 hora após abertura da casa. Exceto o SESC Santos, onde o horário de abertura e início do show é às 18h.

– O que posso e não posso levar nos shows?
R: Não será permitida a entrada de objetos cortantes, alimentos ou bebidas.

– Haverá acesso para portadores de necessidades especiais?
R: Sim. Todos os locais possuem entradas adaptadas para pessoas com deficiência física.

 

culturaderua

– Preciso de ingresso ou inscrição para as atividades que vão acontecer nos lounges das cidades do interior?
R: O live painting é aberto ao público e está sujeito à lotação do espaço. Para participar das oficinas é necessário fazer inscrição pelo e-mail festival4@culturainglesasp.com.br.

– Quantas vagas estão disponíveis?
R: Cada oficina tem 15 vagas disponíveis, que serão preenchidas por ordem de chegada.

– Quando estão abertas as inscrições para as oficinas?
R: Para o público em geral as inscrições vão do dia 21/05 até 7/6. Alunos e staff da Cultura Inglesa podem realizar a inscrição antecipadamente até o dia 20/5.

– Haverá bicicletas para alugar no Bike Tour?
R: Não

 

balada

– Quanto custa o ingresso da balada no MIS-SP?
R: O ingresso tem distribuição gratuita para alunos e staff da Cultura Inglesa. Para o público geral, custa R$ 14 a inteira e R$ 7 a meia-entrada.

– Onde compro meu ingresso para a balada? Quando começam as vendas?
R: As vendas para o público começam no dia 04/06 e serão feitas na bilheteria do MIS (Museu da Imagem e do Som – SP) ou pelo site Ingresso Rápido. Para alunos e staff, a distribuição gratuita começa dia 04/06 e vai até 09/06, das 15h às 20h no próprio MIS.

– Posso comprar mais de um ingresso para a balada?
R: Sim, o limite é de 5 ingressos por pessoa.

– Sou menor de idade. Preciso entrar com meus pais?
R: Menores de 14 anos deverão ser acompanhados por um responsável. É imprescindível a apresentação do documento de identidade no dia da festa.

– Como será a distribuição de ingressos para aluno e staff?
R: A distribuição gratuita para aluno e staff da Cultura Inglesa acontecerá entre o dia 04 e 09 de junho, das 15h às 20h, na bilheteria do MIS – Museu da Imagem e do Som. Basta apresentar documento oficial com foto. A retirada é de até dois ingressos gratuitos por pessoa. No dia do evento haverá distribuição de ingressos restantes das 11h às 15h apenas para alunos e staff.

 

bate-papo

– Como eu faço para participar do bate-papo com o artista britânico Nick Walker?
R: A conversa acontece no MIS, em São Paulo, então quem estiver na cidade pode retirar o ingresso 1h antes na bilheteria do museu para assistir pessoalmente ao evento. Já para quem estiver em Campinas, Sorocaba, Santos ou São José do Campos, haverá transmissão ao vivo em pontos específicos (cheque aqui) e para entrar também é só pegar o ingresso com 1h hora de antecedência no local.

– Qual o número de vagas para o bate-papo?
R: No MIS-SP, serão disponibilizados 160 ingressos. Nas demais localidades, onde haverá a transmissão do evento, a capacidade é de: 115 pessoas no Espaço Cultural Mario Covas (São José dos Campos); 48 pessoas no Cine Arte Posto 4 (Santos) e 60 pessoas na Galeria Perímetro Urbano (Campinas) e no Chalé Francês (Sorocaba).

– Como assisto ao bate-papo do diretor Zam Salim?
R: Em todas as cidades, a conversa ocorrerá após a exibição do filme do diretor, Up There. Portanto, os ingressos devem ser retirados 1h antes do início de cada sessão no local. Em São Paulo, onde acontece o bate-papo, o número de vagas está sujeito à lotação do MIS-SP. Para as outras cidades do Festival, a transmissão será via streaming.

Para ver e ser visto no Festival: o óculos virou item fashion!

6 anos atrás ----- Blog

.

John-Lennons-Glasses

É comum encontrá-lo por aí, em diversas cores, tamanhos e modelos. Todo mundo usa – não é restrito a sexo, idade ou cultura. Os óculos deixaram de ser usado apenas por quem tem problemas de visão e hoje em dia virou item essencial na moda, tema aliás que está na exposição do 17° Cultura Inglesa Festival que rola a partir de sexta (17 de maio) na estação de metrô Vila Madalena.

Por lá você encontra os mais consagrados estilos, bastante influenciados pela música, que circularam (e ainda circulam) pelas ruas do mundo. A contar: hippie, clubber, punk, black, hipster e por aí vai. Entre um figurino e outro, sem dúvida, lá estará os óculos. Mas, você já parou para pensar de onde eles vieram?

 

Há mais de mil anos…

O termo tem origem na palavra “ocularium” que, na Antiguidade Clássica, definia os orifícios das armaduras que permitiam ao soldado enxergar. Imagina o sufoco! O conceito de óculos para a correção da visão só veio com as descobertas em óptica que datam lá por volta de 1.200 com os estudos de cientistas e matemáticos como o árabe Alhazen.

O primeiro esboço do acessório, como conhecemos nos dias de hoje, aparece na Itália em 1286. E, no início, ainda muito caro em se tratando de sua produção, foi quase uma marca registrada dos clérigos que passavam boa parte do tempo nas bibliotecas.

Ao longo dos séculos, com o avanço da Física, apareceram os óculos para descanso da vista, para a proteção dos raios ultravioletas e para a correção dos mais diversos problemas (miopia, astigmatismo, entre outros). Mas, engana-se quem acha que só usa quem precisa.

 

Quatro-olhos

Foi-se o tempo em que usar óculos é visto de maneira negativa. O adereço está na moda! Armações dos mais variados tipos, preta, azul, vermelha, com estampa, lente degradê etc. e tal. Vai dizer que você não consegue relacionar um estilo a cada um desses modelos aí embaixo?

.

kenye

.

 audrey-hep

.

gandhi

 

 

Mais uma novidade deste ano: participe do bike tour gratuito por SP!

6 anos atrás ----- Blog

.

Traffic Lights - Yellow Bike by TheConstructor

.

A bicicleta vem ganhando cada vez mais relevância no espaço urbano. Ativismo político, estilo de vida e opção de transporte são alguns dos motivos que lhe rendem fama e geram polêmica. Por isso, a nossa programação de cultura de rua não estaria completa se não houvesse um bike tour incluso.

Até porque, como você verá aqui no blog, bike tour é também coisa de inglês!

O roteiro (veja no fim do post), montado em parceria com o pessoal do Arte Fora do Museu, acontece no centro de São Paulo e passa por várias obras de arte a céu aberto –murais, praças e edifícios. E, como ajuda nunca é de mais, o passeio também conta com o auxílio do projeto Bike Anjo. Já ouviu falar?

 

O projeto

Formado por ciclistas experientes e voluntários, o grupo ensina e acompanha quem quer começar a pedalar. Sim, eles dão dicas sobre comportamento no trânsito, manutenção da sua bicicleta e outras informações relacionadas ao tema. São pessoas apaixonadas pela atividade e dispostas a tornar a bicicleta uma opção de transporte viável nas grandes cidades.

.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=SFRxgIZOf14[/youtube]

.

Se você ainda não teve coragem de pegar a sua bicicleta e circular por aí veja as orientações no site, participe no grupo e solicite um ”anjo” para chamar de seu. O projeto rola em várias cidades e quem quiser também assumir o posto de orientador, de acordo com as competências aqui descritas.

 

Bike tour do #17CIF

Agora que você já sabe que está em boas mãos, vamos às informações sobre o bike tour do 17° Cultura Inglesa Festival, que acontece no dia 2 de junho (domingo). É necessário ser maior de 16 anos, ou estar acompanhado por um responsável, e fazer inscrição prévia até o dia 31 de maio – veja os detalhes na nossa agenda.

A concentração vai rolar no Largo Santa Cecília a partir das 16h30 e o roteiro começa às 17h. No dia, também é importante usar capacete e sinalizador traseiro na sua bike por questões de segurança. Animado? Você tem pouco mais de um mês para se preparar, hein?

.

 


Exibir mapa ampliado

O que Paul McCartney tem a ver com o Bonde do Rolê?

6 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa Shows

.

FOTO: André Ligeiro

.

A galera votou e o Bonde do Rolê ganhou a disputa de bandas do 17° Cultura Inglesa Festival em São Paulo com nada menos que 48% da preferência dos alunos. Ao que tudo indica, as batidas da banda não agradam apenas aos brasileiros. Há um mês o som do trio também encantou Sir Paul McCartney!

De acordo com a declaração do produtor britânico Mark Ronson, o ex-Beatle teria comentado que gostaria de ter o mesmo ritmo e energia que a música da banda brasileira em seu novo disco. Já imaginou? Se ficou um pouco complicado, não se preocupe. O Bonde do Rolê quis retribuir o carinho e ajudar Paul nessa empreitada. Eles fizeram um remix para a música Get Back, dos Beatles.

 


 

Curtiu? Então, imagina eles tocando The Cure no dia 23 de junho aqui no 17° Cultura Inglesa Festival (e de graça!). Como será que vai ser?

. 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=9GkVhgIeGJQ[/youtube]

Deus salve a Rainha! Já faz 60 anos, sabia?

6 anos atrás ----- Blog Edital Exposições

.

.

Você sabia que neste ano faz 60 anos que Elizabeth II foi coroada rainha da Inglaterra? Sim, faz um tempo. Se você não é sexagenário muito provavelmente não faz lá grande ideia de como foi o evento, certo? Mas ele foi histórico!

Na época, Elizabeth tinha apenas 25 anos quando recebeu a notícia de que seu pai, George VI, havia falecido. A mais velha das filhas do rei, assumiu o trono imediatamente, mas seria coroada rainha apenas 16 meses depois, em 2 de junho de 1953. A espera valeu a pena, a cerimônia entrou para a história.

 

A  coroação

Tudo começou com uma procissão do Palácio de Buckingham até a Abadia de Westminster, onde tradicionalmente ocorrem as coroações britânicas. Assim como acontece hoje em dia em grandes shows, centenas de pessoas acamparam durante à noite para guardar os melhores pontos do percurso. Dá para acreditar?

Nem a leve garoa pela manhã espantou a multidão de quase três milhões de pessoas disposta a saudar a nova rainha. E lá foi ela na carruagem real –chamada de Gold State Coach–, construída em 1762, folheada a ouro e que pesa nada menos que quatro toneladas! Na sua frente estavam as bandas da Brigada da Guarda, chefes de Estado e realezas vizinhas.

.

.

Na Abadia de Westminster, a (ainda) princesa era aguarda por 8 mil pessoas e trajava um belo vestido em seda branca e um manto de veludo com mais de cinco metros de comprimento. Daí você deve estar se perguntando como controlar essa cauda imensa. Calma, ela tinha à disposição sete damas de honra que a ajudaram a a chegar no altar, onde fez o Juramento de Coroação.

Em seguida, recebeu em sua mãos o kit completo que lhe consagrariam de uma vez por todas rainha: cetros, orbe, o manto e a cora. A congregação então soltou o grito, imortalizado pela música dos Sex Pistols anos mais tarde, “God save the queen!”.

Agora você conhece um pouco mais desse marco histórico que serviu de inspiração para o projeto “Night Out”, que participa do 17° Cultura Inglesa Festival, do artista Rafael RG. A partir do dia 18 de maio, no Centro Brasileiro Britânico (CBB), você vai poder conferir a releitura que el fez da cerimônia por meio da junção de documentos da época e de objetos ficcionais.

INSTAGRAM

49 anos atrás
@