Web Content Viewer
Cultura Inglesa Arquivos Films and TV programmes - Blog - Cultura Inglesa

Tag: Films and TV programmes

TOP 5 – Não sabia que era britânico (especial atores)

4 anos atrás ----- Blog Top 5

Tem ator e atriz que só de ver ou ouvir falar, já está na cara que são ingleses! Não tem como não duvidar do sotaque do Colin Firth ou da Helen Mirren, não é? Mesmo brilhando em Hollywood, eles têm uma “britanidade” impossível de disfarçar.

Mas tem alguns que surpreendem aqueles que não acompanham tão de perto a carreira deles! Reunimos cinco desses casos no… TOP 5 – Cinco atores que você não sabia que eram britânicos:
.

Top5 Sacha Baron Cohen

Sacha Baron Cohen

O homem por trás de Bruno, Ali G e Borat é um inglês, nascido e criado em Londres e fã do Monty Python! E os britânicos sabem reconhecer o talento de um dos maiores comediantes de sua geração: ele ganhou, no ano passado, o prêmio BAFTA Charles Chaplin de Excelência em Comédia. 

 

 Top4Chiwetel Ejiofor

 

Chiwetel Ejiofor

 

Em evidência depois de protagonizar o impressionante “12 Years a Slave”, que ganhou o Globo de Ouro de melhor filme dramático, Ejiofor é natural de Londres, e é filho de nigerianos. Ele já levou prêmios no BAFTA (o Oscar britânico), e é cotado para o Oscar de melhor ator com o filme sobre a escravidão sulista americana.

 

 Top3Christian Bale

O cara que já foi três vezes o Batman e agora está no badalado Trapaça nasceu em, anote aí: Haverfordwest, Pembrokeshire, País de Gales, Reino Unido. Ainda criança, Christian Bale foi morar no sul da Inglaterra. “Nasci no País de Gales, mas sou inglês”, disse ele certa vez. Bale começou no teatro em Londres com 10 anos de idade. E seu primeiro filme em Hollywood foi logo num longa de Steven Spielberg, Império do Sol, quando ele tinha ainda 13 anos!
.

 Top2Catherine Zeta-Jones

catherine-zeta-jones

Lançada para o mundo com seu papel em Traffic (ela levou até um Globo de Ouro por sua performance nesse filme), a galesa de Swansea é filha de um dono de uma fábrica de doces! Zeta-Jones, que já tem um Oscar na prateleira, quase nunca interpreta britânicos na telona.
.

 Top1  Charlie Chaplin

charles-chaplin

Um dos principais e mais famosos comediantes da história, Charles Chaplin é um dos grandes da história do cinema! O ator e diretor nasceu na Londres Vitoriana, e depois de superar dificuldades financeiras (seu pai abandonou a família e a mãe tinha problemas mentais), virou um ator muito reconhecido em seu país. Mas foi em Hollywood onde ele ganhou o mundo, com filmes como Em Busca do Ouro e O Grande Ditador. O fato de ser britânico ainda teve uma implicação importante em sua vida: no auge da perseguição aos comunistas nos EUA, ele foi acusado de filiação a grupos de esquerda, e sofreu diversas tentativas de extradição dos Estados Unidos. Ao viajar para a Inglaterra para a estreia de um filme, em 1952, o visto de permanência dele foi cancelado! 

[The Insider] No tapete vermelho inglês com Leonardo DiCaprio

4 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

Leo DiCaprio in London

.
O blog do Cultura Inglesa Festival se infiltrou no mais famoso tapete vermelho da Inglaterra: a entrada do Odeon Cinema da Leicester Square, no centro de Londres!

É lá que as estrelas do cinema desfilam quando tem estreia de filmes blockbusters no Reino Unido.

O lançamento por aqui de Wolf of Wall Street, filme novo de Martin Scorsese, foi destas superproduções.

Quando tem premiere grande assim como a desta quinta-feira no Odeon, uma das grandes redes de cinema daqui, metade de Leicester Square é cercada já pela hora do almoço. Os primeiros fãs que aparecem ganham acesso para ficar na grade e esperar as celebridades passarem.

A maioria da galera que estava ali esperava pelo Leonardo DiCaprio, com faixas, pôsteres, cartazes, capinha de DVD… Um dos cartazes dizia: “I’ve been waiting for more than 9 hours”.

Odeon de London

Sim, para pegar lugar ali no gargalo, precisa chegar bem cedo, senão só dá pra ver alguma coisa pelo telão.

Alguns gritos eram ouvidos quando alguém mais famoso passava, mas frenesi mesmo, ainda que bastante polido, só quando DiCaprio passou por lá. O ator, sempre com um leve sorriso e um pouco de pressa, gastou uns dez minutos no tapete vermelho: deu autógrafos, posou para os fotógrafos, deu breve entrevista para os repórteres, e posou mais um pouco para fotos (tudo nessa ordem). Depois sumiu.

Todos os mortais que passam pelo tapete (e tem bastante gente, todos convidados da distribuidora do filme, a Universal Studios, e de envolvidos com a divulgação do filme, além de alguns poucos ganhadores de alguma promoção), tem de passar rapidinho. Não dá muito para aproveitar o momento, ou parar para apreciar a paisagem, ou tirar foto. Os monitores e seguranças ficam o tempo inteiro pedindo para as pessoas “please, move, please, move”.

red carpet from inside

Os fotógrafos ficam confinados no seu curral, de onde ninguém entra, ninguém sai, até acabar o evento.

Um apresentador da tevê britânica está lá para animar a “festa”, que era transmitida pelo telão para a praça inteira.

A celebridade mais feliz com a encenação toda era a Margot Robbie, a belíssima atriz australiana que contracena com DiCaprio no filme. Ela estava feliz da vida.

Já DiCaprio estava visivelmente incomodado com o assédio todo. E tratou de cumprir o protocolo com elegância, mas o mais rápido possível.

Depois que todos entram no cinema, o apresentador foi para dentro da enorme sala do Odeon, completamente lotada, e chamou dois produtores do filme, Margot e, finalmente, Leonardo DiCaprio. Os quatro deram tchauzinho para a platéia (DiCaprio sempre meio sem graça com a situação, enquanto Margot era só sorrisos), posaram para as fotos, e foram embora. Não ficaram para ver o filme, que aliás, é bem divertido.

O elenco de Wolf of Wall Street no palco do Odeon

Hoje em todos os jornais havia algo sobre a estreia de Wolf of Wall Street, e as fotos que as estrelas tiraram no tapete vermelho estavam em todos os tabloides da cidade.

Para divulgação, sem dúvida este tipo de evento funciona, pois essas super celebridades do cinema são tratadas como semi-deuses. Mas, de perto, a coisa não tem esse glamour todo, não. E o Leonardo DiCaprio é mais um mortal, bem apessoado, de altura média, incrivelmente bem sucedido no que faz, sem dúvida, mas é de pele e osso, coisa que o tapete vermelho faz questão de esconder.

 

DSC03269

Essa foto é o “Leo” andando pelo corredor do cinema após descer do palco, a caminho da saída. Ele literalmente passou do lado da nossa cadeira, e o cinema inteiro (cuja maioria está acostumada a ver estrelas de Hollywood) virou para assistir. Olha aqui um videozinho do Instagram de uma inglesa que estava na plateia um pouco atrás: http://instagram.com/p/i93xprIhvl/
.

odeon cinema leicester square

Visão da Leicester Square, parcialmente fechada para o público

 

red carpet

A caminhada pelo tapete vermelho com vários “mortais”

telao de dentro do cinema

A telona do cinema, antes do início do filme, mostrava os “melhores momentos” do tapete vermelho
.

Celebrity Fever

A obsessão britânica por celebridades é coisa de profissional.

O secular culto e perseguição à família real é o maior do mundo, de longe, entre os países que ainda possuem monarquia. Em qualquer banca de jornal (as “newsstands“) que você vá, verá um tabloide estampando um VIP na capa, ou contando a última história do julgamento da Nigella Lawson ou mostrando fotos do batizado do bebê George Alexander.

No site do Visit Britain, o site oficial de turismo na Inglaterra, tem lá uma página com lugares para se ver celebridades no país: http://www.visitbritain.com/en/Celebrity-spotting-in-London/

O guia oficial de Londres também dedica uma seção aos melhores restaurantes para se cruzar com algum VIP.

Os famosos que pegam o metrô, como lembra o BuzzFeed, também não passam desapercebidos.

Festas VIP, eventos reais, clubes privados de todo tipo (de lords velejadores a músicos aposentados) que só aceitam convidados de um certo círculo social, baladas exclusivas para membros da alta sociedade… até alguns cinemas têm área VIP!

Todo tipo de aristocracia é celebrada por aqui, das estrelas do mundo pop que todo mundo sabe quem é aos duques e duquesas que ninguém nunca ouviu falar.
.

Top 5 – Comédias românticas mais britânicas

4 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa

Quando Esqueceram de Mim passa na televisão brasileira a gente já sabe que o ano chegou ao fim, né? A escolha do filme, apesar de um tanto quanto batida, faz sentido: uma comédia açucarada combina bem com o clima natalino e tem mais potencial de divertir a família enorme esparramada no sofá da sala depois do banquete.

E é justamente para um relaxamento digno das aguardadas férias que fizemos o Top 5 de hoje! Selecionamos as mais famosas comédias românticas com tema britânico (filmes que não necessariamente são uma produção inglesa, mas que têm a Inglaterra como tema) para você assistir com sua tia avó depois de mandar aquele tender:

.

 Top5 Quatro Casamentos e um Funeral

,

Essa produção britânica de 1994 já deteve o título de maior sucesso de bilheteria da história do cinema britânico, além de ter sido indicada a dois Oscars. Em Quatro Casamentos e um Funeral, Hugh Grant tem sua iniciação nas comédias românticas, na pele do solteirão Charles. Ao longo da história, que se passa naquela fase da vida de uma pessoa em que parece que todos os amigos se casam, ele encontra Carrie, uma americana cujos amigos e época da vida coincidem com os seus. Sempre disposto a fugir diante de qualquer sinal de compromisso no amor, ele acaba encontrando e reencontrando Carrie em casamentos, e os dois acabam se envolvendo. E aí tem desencontros, reencontros, barracos em casamentos, beijo na chuva, aquela coisa toda. Ahhh, o amor…

 

 Top4 Um Lugar Chamado Notting Hill

notting-hill

E aqui está o Hugh Grant de novo, se apaixonando por uma americana…

Dessa vez, ele está sossegado, na dele, trabalhando em uma livraria do bairro de Notting Hill, bairro chique de Londres, para conseguir pagar as contas. De repente, ele se depara com a atriz mais famosa do mundo entrando em sua loja, e começa a história de amor que faz dessa pequena livraria um ponto turístico londrino. Até hoje, milhares de pessoas tiram fotos na frente da livraria onde o Hugh Grant encontrou a Julia Roberts…

 

 Top3 O Diário de Bridget Jones

bridget-jones-diary_

Sabia que as histórias de Bridget Jones nasceram numa coluna de jornal? Pois é, a escritora britânica Helen Fielding, então jornalista do The Independent, começou a contar as histórias de Bridget Jones numa coluna semanal no jornal em 1996. Depois ela escreveu o primeiro livro, que virou best-seller, depois o segundo e agora saiu o terceiro.

Adivinha quem aparece na primeira adaptação para o cinema? Sim, Hugh Grant está nesse filme, mas quem rouba a cena mesmo é a Renée Zellweger.

O anúncio da escolha de uma atriz americana para protagonizar O Diário de Bridget Jones causou muita controvérsia antes do lançamento do filme. Mas no fim todos se apaixonaram pelo sotaque britânico divertido e bastante crível e os quilinhos a mais de Renée. .

 

Top2 Orgulho e Preconceito

P&P 2005 lizzy and darcy dancing

Em Orgulho e Preconceito temos: uma bela adaptação da obra-prima da escritora inglesa Jane Austen para o cinema, com Keira Knightley no papel de Elizabeth Bennet e Matthew Macfadyen como Mr. Darcy.

Não temos: Hugh Grant. Finalmente! 

 

  Top1 Simplesmente Amor

Love Actually

The ultimate romantic comedy” é o slogan desse filme de 2001. Misturando várias histórias de amor que acontecem em Londres na época do natal, Simplesmente Amor (ou “Love Actually”, no nome original) é o “Esqueceram de Mim” da tevê britânica no fim do ano. Hugh Grant (olha ele aí de volta) está no elenco, Keira Knightley, Rowan Atkinson (o Mr. Bean), Emma Thompson e Andrew Lincoln (o Rick, de The Walking Dead) também… só inglês peixe grande! Ah, o Rodrigo Santoro também é protagonista de uma das histórias de amor. Pra quem gosta de comédia romântica e natal, está aí a combinação perfeita.

 

Quem você gostaria de ver nesse Top 5? Shakespeare Apaixonado talvez? Comente!

 

Mais uma adaptação de “O Hobbit” estreia nos cinemas

4 anos atrás ----- Blog

 O-Hobbit

.
Fãs do escritor inglês J.R.R. Tolkien e Senhor dos Anéis, vocês já estão por dentro da aguardada estreia de hoje, certo? A parte II de O Hobbit, história que antecede a aventura de O Senhor Dos Anéis entram em cartaz nos cinemas de São Paulo  nesta sexta-feira.

Veja o trailer

Saiba tudo sobre Tolkien

Chamada de “A Desolação de Smaug”, o filme conta com os já conhecidos Ian McKellen (Galdalf) e Martin Freeman (Bilbo Bolseiro), além de introduzir Legolas na história, personagem imortalizado por Orlando Bloom na trilogia de filmes dirigido por Peter Jackson.

Com O Hobbit Peter Jackson teve de adaptar um livro de pouco mais de 300 páginas em três filmes (enquanto Tolkien escreveu O Senhor dos Anéis em três partes, O Hobbit tem apenas um livro).

Jackson utilizou diversos outros escritos de J. R. R. Tolkien para amarrar a trama. E se engana quem acredita que essa foi a primeira adaptação desta obra menos famosa – mas tão importante – de Tolkien! A BBC preparou uma versão para rádio do livro na década de 60. 

Não tem efeitos 3D, em iMAX ou 48 frames por segundo. Mas ainda assim emociona quem gosta da história! Confira: 
.

Monty Python de volta à ativa após 15 anos

4 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa

.
Acredita que foi em 1998 a última vez que o Monty Python se apresentou em um palco?!

Mas os mestres do fino humor nonsense britânico estão planejando voltar à ativa, agora, em 2013!  

Nessa terça, o tabloide britânico The Sun anunciou a volta dos Pythons, também mencionada por um deles, Eric Idler, em sua conta do twitter!

Outro integrante do grupo, Terry Jones, confirmou à BBC que eles pretendem mesmo voltar, e que têm uma apresentação ao vivo totalmente nova em mente. “Espero que a gente ganhe muito dinheiro! E que isso ajude a pagar minha hipoteca!”, brincou ele, hoje com 71 anos.

Graham Chapman, sexto membro da trupe, morreu de câncer em 1989. Os cinco Pythons ainda vivos estão hoje na casa dos 70, mas continuam com o espírito que fez deles um dos mais famosos grupos de comédia de todo o mundo.

Eles ganharam fama com o programa de TV “Monty Python’s Flying Circus”, que começou a passar na BBC em 1969. Mais tarde, fizeram filmes que rodaram o mundo inteiro, e a influência que tiveram na comédia mundial foi comparada muitas vezes com a que os Beatles tiveram na música. 

A volta aos palcos vai ser anunciada nessa quinta-feira, em uma coletiva de imprensa. Agora é torcer para virar DVD ou turnê – e a turnê passar pelo 18CIF, já imaginou? A gente é fã, o 15CIF teve uma mostra Monty Python nos cinemas de São Paulo).

Veja acima uma das esquetes mais famosas do grupo, o Ministério de “silly walks” (ou “andares bestas”, em tradução livre).

Saiba mais