Web Content Viewer
Cultura Inglesa Arquivos balada - Blog - Cultura Inglesa

Tag: balada

TOP 5 – Bares inusitados de Londres

4 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa The Insider The Insider Top 5

Quando uma cidade tem tantos bares, cafés e restaurantes quanto Londres, os donos desses lugares têm que se esforçar para chamar a atenção e ganhar os clientes. Essa “competição” gera cada vez mais inovações, maluquices e brincadeiras. Conheça um pouco dos lugares malucos de Londres no nosso TOP 5 da semana!
.

Top5 Um bar depois da descarga

 

portside-parlour-pop-up-bar-rum-cocktails-east-lon1

 

Londres tem vários bares “escondidos” em porões, por baixo dos estabelecimentos “normais”. Um dos mais famosos desses lugares “clandestinos” – há listas e mais listas com os tais dos speakeasy bars – é o Portside Parlour. Para entrar lá, você primeiro tem que entrar em um bar, para depois entrar em um banheiro unissex cuja descarga diz: “Flush to enter” (literalmente: “aperte a descarga para entrar”). O bar em si, com decoração retrô e música boa, é considerado um dos melhores bares de rum da capital inglesa.
.

Top4 O bar com tudo à venda

 

the shop

 

A sua intenção pode até ser sair para beber numa boa com os amigos, mas, se for nesse bar, você pode voltar para casa com algo além da ressaca – por que não uma mesa nova?! 

É que a decoração bem bolada e o nome do The Shop NW10 não são à toa. Lá, dos quadros nas paredes aos móveis onde as pessoas sentam para beber, tudo está à venda. Além disso, a criatividade invade o menu de drinks, onde o Bloody Mary se chama “Pick & Mix Mary” e é totalmente personalizável. O perigo é se empolgar demais, primeiro na bebida e depois na compra…

 

Top3  O bar que cobra por minuto

 

ZIFERBLAT

 

Os poetas russos que começaram o Ziferblat perceberam que, quando ficavam sentado por horas em mesas de cafés e restaurantes, começavam a ganhar olhares pouco amistosos dos garçons – já que não estavam mais consumindo nada. Assim eles tiveram uma ideia inovadora: a de criar um estabelecimento onde esse olhar torto não existiria.

O café / casa de chá / restaurante fez tanto sucesso que se multiplicou pela cidade de Moscou e, no fim do ano passado, abriu em Londres sua primeira casa fora da Rússia. Cobrando 3 pennies (mais ou menos R$0,12) por cada minuto passado lá dentro, o Ziferblat propõe reunir, sem a obrigação de consumir qualquer coisa, gente criativa em um espaço agradável. Lá, são servidas comidinhas, cafés e chás – pelos quais você não paga, a única coisa cobrada é o tempo -, e eventos culturais como shows e exibições de filmes são organizados regularmente. Mas você também pode chegar com seu notebook e ficar numa boa, quietinho, trabalhando e comendo um bolo…

 

Top2 O bar que é um mistério

 

evans

 

A entrada do Evans & Peel Detective Agency, como o nome já entrega, é “disfarçada” de porta para um escritório de detetive. Você só consegue entrar se tiver uma “consulta” marcada. Lá dentro, um misterioso homem vai te perguntar sobre o caso que você quer que ele resolva, e, se você continuar a brincadeira, em poucos minutos vai ser levado para dentro de outro dos mais famosos speakeasy bars londrinos. Com uma decoração temática e drinks e comidinhas memoráveis, o Evans & Peel Detective Agency proporciona uma noite diferente e divertida.

 

Top1 Uma balada de café-da-manhã

 

 

 

Esse não é exatamente um bar, mas é bem inusitado. Que tal dar uma passada na balada antes de ir pro trabalho? Bem-vindo à Morning Glory, a balada londrina que só abre das 6h30 às 10h30 da manhã. A galera que frequenta o lugara decidiu começar seus dias de um jeito bem diferente, com nada mais nada menos do que… uma rave matinal. Dentro de um galpão, DJs tocam música eletrônica, dançarinos profissionais animam as pessoas, aulas de yôga são ministradas e massagens gratuitas são feitas. Tudo ao mesmo tempo. 

Enquanto isso, no bar são preparados smoothies saudáveis e cafés – proporcionando aos clientes uma preparação para o trabalho diferente e muito longe do mau humor. Nada de álcool. E o mais engraçado é que, vendo as danças malucas de quem escolhe começar o dia assim, não dá nem para acreditar que ninguém ali está bêbado…

 

Metade do Libertines atacou de DJ na balada do #17CIF

5 anos atrás ----- Blog

Balada com Carl Barât

A gente esperava “só” o Carl Barât, mas teve mais! Além do guitarrista, veio para a balada do #17CIF o baterista Garry Powell (também no Libertines e do Dirty Pretty Things). Uma dupla e tanto nas bandas, Barât e Powell mostraram ontem, em uma noite cheia de bexigas no MIS, que também arrasam dando festa.

Sem deixar a empolgação do público cair em nenhum momento, o set dos caras começou pesado, com direito a Motörhead e Rage Against The Machine, e terminou na maior alegria, com OutKast e The Fratellis fazendo todo mundo pular. O indie rock britânico esteve presente ainda com Kaiser Chiefs, Arctic Monkeys e, claro, Libertines.

Carl Barât na balada do 17CIF

E isso foi só parte da festa. Na fachada do MIS, rolou o “grafite do virtual” do projeto VJ Suave (os artistas desenhavam em um ipad e a arte ia direto para o muro). Até o Nick Walker passou por lá para experimentar!

Nick Walker na balada do 17CIF

The Libertines em dose dupla

5 anos atrás ----- Blog

.
A banda de Carl Barât e Pete Doherty vai aparecer duas vezes no 17º Cultura Inglesa Festival! O filme The Libertines – There’re no Innocent Bystanders faz parte da mostra de rockumentários do #17CIF. É um registro do show mais incrível da melhor turnê da banda. Veja os horários exibição: http://bit.ly/11g4Vdt

E o próprio Carl Barât em carne e osso vem discotecar na balada do Festival! Já garantiu ingresso? A balada vai ser uma edição especial da festa Green Sunset no MIS. Aluno e staff não pagam até dia 9 de junho. Corre! http://bit.ly/18LIGSV

 

Informações sobre ingresso para a balada do Carl Barât

5 anos atrás ----- Blog

.
Já contamos por aqui que
Carl Barât, ex-Libertines e Dirty Pretty Things, vai participar do 17° Cultura Inglesa Festival. O britânico deixa a guitarra de lado para atacar de DJ na consagrada festa Green Sunset, que acontece todo o mês no Museu de Imagem e Som (MIS-SP). E para você já ir se programando para a balada, seguem mais informações sobre o grande evento que acontece no dia 22 de junho.
.

Como faz?

Os ingressos custam R$ 14 (com opção de meia entrada) e começam a ser vendidos a partir do dia 4 de junho pelo site Ingresso Rápido e pela bilheteria do MIS-SP. Cada pessoa poderá comprar, no máximo, cinco ingressos. O horário de funcionamento da bilheteria do MIS é de terça a sábado, das 12h às 21h30, e domingos e feriados das 11h às 20h30. No dia do evento, a bilheteria fecha às 14h. 

Clique aqui para garantir o seu!

Já quem é aluno ou staff da Cultura Inglesa não paga e pode retirar até dois ingressos na bilheteria do MIS-SP entre os dias 4 e 9 de junho. O horário para a retirada é das 15h às 20h. Basta apresentar documento de identidade original com foto!
.

Anote na agenda

A festa rola no dia 22 de junho e vai das 16h até as 22h! E para entrar no evento é obrigatória a apresentação do documento de identidade com foto, por isso não esqueça o seu. Menores de 14 anos de idade precisaram ir acompanhados pelo responsável.

.

greensunset_juliana-knobel31
.

Na playlist, Carl promete mostrar um pouco das influências que marcaram sua vida musical. Não dá para ficar de fora! Então, acompanhe a nossa agenda.

BALADA → DJ Barry Fratelli (São José dos Campos)

6 anos atrás ----- Sem categoria

Ex-baixista da banda The Fratellis, Barry Fratelli discotecará em três baladas do 16CIF.

Ele é conhecido por ter somente um objetivo nos seus sets: fazer todo mundo pular que nem doido.

Misturando músicas das antigas com as últimas novidades, e o que tem de mais “cool” entre aqueles hinos do rock que todos sabem de cor, ele sempre atinge seu objetivo.

Seu set vai da cena “Madchester” às bandas The Jam, de The Killers a Courteners, e muito mais! Afinal de contas, ele foi de uma das bandas mais importantes do rock britânico da década passada.

BALADA → DJ Andy Blake

6 anos atrás ----- Cultura Inglesa

Depois de comandar a importante gravadora Dissident, entre 2007 e 2009, focada na divulgação de novos nomes da música eletrônica, Andy Blake toca uma sólida e peculiar carreira de DJ.

Para começar, seus sets são todos feitos em vinil. A sonoridade, porém, não é nem um pouco antiquada. Ele combina diversos estilos e empolga seu público por um caminho que percorre a história da música eletrônica e muitas de suas vertentes.

Nascido em Londres e radicado em Glasgow, Andy Blake irá mostrar aos brasileiros no dia 25 de maio, no Studio SP da Vila Madalena, um pedaço da nova e instigante música eletrônica feita na Inglaterra.

Abrindo a noite, toca o curador do 16CIF Lúcio Ribeiro.
.

p.s.: aluno da Cultura Inglesa que chegar até 1h da manhã, não paga a entrada de R$25

Como Andy Blake, só no boca-a-boca, conquistou pistas do mundo inteiro

6 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa


.
Andy Blake, DJ que vai comandar a primeira balada do 16 CIF, é um dos caras mais legais e competentes da música eletrônica hoje em dia. Quer prova? Basta uma palavra: Dissident.

Esse é o selo que o artista britânico criou para lançar música de amigos seus – e acabou se tornando nome cultuadíssimo entre os bons entendedores de música eletrônica.

Não apenas porque, com ele, Blake levou às pistas o trabalho de muita gente boa (no início, amigos, e depois outros artistas que não conseguiam apoio de gravadoras e acabavam por procurá-lo), mas pela forma com ele o fez: pegando a contramão de qualquer regra da indústria da música de hoje em dia.
.

Uma gravadora diferente 

Não criou site ou página no MySpace, não colocou música na web, não fez marketing algum. A gravadora até virou uma espécie de mistério, tamanha era a falta de divulgação. Tudo era lançado em vinil (de apenas um lado!), em edições limitadas que não passavam de 200 unidades.

Amador? Não, Blake se preocupava apenas com a parte mais importante do negócio: a música. Era só som de primeira, de diversas vertentes do eletrônico, gravado em perfeita qualidade. E não é que deu certo?

Infelizmente, se você não conheceu a Dissident, sentimos dizer que agora já é tarde. Blake encerrou sua história com o selo em 2009, quando partiu para outros projetos. Foram pouco mais de 2 anos de trabalho e quase 60 vinis lançados (disquinhos que hoje são peças de colecionadores espalhados pelo mundo).

Agora não perca a chance de ver esse gênio em ação, ok?

Marca aí na agenda: balada com Andy Blake no Studio SP Vila Madalena dia 25 de maio!