Web Content Viewer
Cultura Inglesa junho 2011 - Página 6 de 6 - Blog - Cultura Inglesa

Mês: junho 2011

Palco Underground – show do The Demanders

7 anos atrás ----- Sem categoria

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=v3Z1N8rYaJQ[/youtube]

A banda The Demanders, formada em 2009, já passou por várias revoluções e reformulações. Mas algo nunca mudou: a vontade de ser uma banda de rock alternativo.

Já como um grupo consolidado, os seguidores do indie rock Daniel Ferraz, Jonas Arilho, Miguel Nassif e Giuliano Machado foram para a final do Cult in Music 2010.

O grupo vai agitar o Palco Underground também no dia 9 de junho. Fique de olho!

.

Estação Paraíso do Metrô
Capacidade: 80 pessoas (20 sentadas, 60 em pé)
Rua Vergueiro, 1563

Depois do parque, a música vai para o Palco Underground

7 anos atrás ----- Blog

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=4F6BBcJL83g[/youtube]

.
Você já sabe que o 15º Cultura Inglesa Festival tem cinema e exposição no metrô, certo? A partir desta semana, tem música também!

Quem inaugurou o Palco Underground, na Estação Paraíso, foi a banda Broth3rhood, que tocou também no domingo no Parque da Independência.

Sempre na parte da tarde, mais seis bandas vão agitar um pouco mais o metrô: Cadillac Bourbon (que também tocou no domingo), The Demanders (vídeo acima), BKStage, Mad Jokers, Nota de Rodapé e 54 Rock.

São todos grupos que arriscam músicas próprias e fazem bons covers – de Beatles a Arctic Monkeys!

Fique de olho na programação e aproveite para colocar um pouco mais rock’n roll nos seus dias!

 

Palco Underground – show do Cadillac Bourbon

7 anos atrás ----- Sem categoria

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=p4PaApK91pM [/youtube]

Com o propósito de tocar “o puro rock n’roll”, João Marcelo Dadam, Roberto Aparecido Nardelli, Tamyris Leopoldo e Lucas Batista da Silva prometem um show animadíssimo e agitado do começo ao fim.

No repertório, clássicos de de Elvis Presley, Doors, Rolling Stones, Beatles, Creedence, Velhas Virgens, Raul (“toca, Raul!”) e muito mais.

A banda vai se apresentar também no dia 29 de maio, no Parque da Independência. Os garotos de Piracicaba foram escolhidos pelos alunos da Cultura Inglesa para integrar o grande dia da 15ª edição do Cultura Inglesa Festival. Saiba mais.

.

Estação Paraíso do Metrô
Capacidade: 80 pessoas (20 sentadas, 60 em pé)
Rua Vergueiro, 1563

Glen Matlock, o turista

7 anos atrás ----- Blog

Depois de discotecar no Beco no último sábado, o sex pistol Glen Matlock não ficou parado enquanto estava aqui em São Paulo. Com Supla como cicerone, o cara queria registrar tudo o que via pela frente.

“Que horas fecha o museu? Quero ir lá”, disse ele, ao saber o que tinha para ver no Museu do Ipiranga.

Ao saber que o museu fechava às 17h, relaxou e assistiu atentamente ao show do Blood Red Shoes, que começou às 15h30. Já o show do Gang of Four ele gravou inteirinho com seu celular direto do backstage!

No intervalo entre um show e outro, atendeu aos fãs com simpatia e curiosidade. E fez questão de tirar fotos de todo mundo que queria tirar foto com ele!

Nesta segunda, o ex-baixista do Sex Pistols continuou seu turismo pelas terras brasileiras. Ele foi para Paraty junto com o Supla.

“É minha terceira vez no Brasil, mas sempre quero conhecer mais. Aqui é demais”, nos contou Glen.
.

 

Robert Shearman: “Ainda não acredito que estou aqui!”

7 anos atrás ----- Blog

Enquanto descobrimos um pouco mais sobre cultura britânica com o 15º Cultura Inglesa Festival, alguns de nossos convidados estão se maravilhando com o Brasil. É o caso do Robert Shearman. É a sua primeira vez na América Latina e ele não esconde a a animação. “É extraordinário. Ainda não acredito que estou aqui!”

No último final de semana, o autor da série Doctor Who participou do evento Reading With the Ears e de um bom bate-papo com seus fãs. Bem, ele está surpreso com a quantidade de gente interessada por seu trabalho por aqui. “É inspirador!”

No podcast abaixo, Shearman nos conta mais sobre o que está achando de sua passagem pelo país. Ouça!

De Tom Hanks a Cinderela, Hattie Naylor desvenda o bom heroi

7 anos atrás ----- Blog

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=WYw_FOaQTEw[/youtube]

.
Depois de acompanhar o sucesso da exibição da “Ivan e os Cachorros” inspirada em seu livro, a autora inglesa Hattie Naylor assumiu um outro papel que lhe cai muito bem: o de professora!

Ela comandou o workshop gratuito “O estereótipo e o arquétipo na dramaturgia contemporânea – estrutura, subtexto e criação de personagens complexos” no 15º Cultura Inglesa Festival.

Cerca de 20 pessoas – entre profissionais e amadores do teatro – acompanharam na Cultura Inglesa do Itaim as dicas de Hattie, que tem várias histórias veiculadas pela Rádio BBC 4.

Toda a conversa com a turma foi permeada pelo bom humor inteligente da inglesa, com tiradas como a do vídeo acima, no qual ela diz que os herois não podem ser muito inteligentes, tampouco muito estúpidos. “O Heroi tem que ter uma inteligência mediana, como a do Tom Hanks”, disse, arrancando risos da sala.

Até a Cinderela entrou no workshop, desnudada por uma análise de personalidade por parte da dramaturga. Por que a personagem de Charles Perrault precisava ser tão submissa? Por que o público torce por personagens assim?

Questões como essas renderam longas e animadas discussões, mas para aqui não deixarmos os curiosos sem resposta, a submissão da cinderela, segundo Hattie, deve-se ao fato de a história “Cinderela” não começar com um acontecimento muito marcante, algo que determine o rumo da história na peça. Então a todo o momento, o sofrimento e submissão dela são postos em evidência para que o público possa ser “induzido” a torcer pelo rumo da história em que aquela personagem se sairá bem ao final.

Veja abaixo o depoimento de uma aluna que esteve no workshop nesta terça:

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=ZR8FOgBUW1Q[/youtube]

Doctor Who e o desentupidor de pia

7 anos atrás ----- Blog

 

No último sábado, recebemos o autor Robert Shearman, para uma conversa aberta com o público. Após apresentar uma cena de “Doctor Who” escrita pelo próprio, Shearman contou a história de sua vida – desde uma infância tímida, marcada pelo gaguejo, até o sucesso na ficção científica.

“Doctor Who” é uma série britânica que já está no ar há mais de 40 anos. É uma tradição no país. Todas as gerações já tiveram contato com a TARDIS.

No evento de sábado, adolescentes e senhores compareceram para conversar com o roteirista, que se mostrou muito bem-humorado e chegou a se emocionar por ter fãs tão longe de casa.

Dentre muitas curiosidades sobre a série e sobre sua vida, Robert Shearman contou que acha que o vilânico Dalek mais se parece com um pimenteiro acoplado a um desentupidor de pia, do que com um vilão de fato.

De acordo com Shearman, Dalek assim foi desenhado por conta da verba escassa da BBC na época de estreia de “Doctor Who”. O roteirista ainda disse que até hoje o robô sofre de bugs durante as filmagens, motivo de risos no set.

Seu segundo livro, ainda inédito no Brasil, estava à venda após o evento, com direito a autógrafos. O primeiro, “Tiny Deaths”, você pode encontrar por aqui. O Festival recomenda.
.

✰ O bate-papo foi parte dos eventos de Ficção Científica do #15CIF. Confira a programação.