Web Content Viewer
Cultura Inglesa Blog - Cultura Inglesa -

A diferença entre “my” e “mine”. Quando usar qual?

1 semana atrás ----- Blog EnglishTips

Ambos querem dizer “meu/minha”, mas my é parte da família dos “possessive adjectives”, enquanto que mine é da turma dos “possessive pronouns”. A regrinha é fácil:

Embora na maioria das vezes “mine” e os demais pronomes possessivos sejam precedidos de verbo, é possível que o verbo não apareça. Ex.: “Your phone is really good. Mine is horrible”. A regra que vale guardar é que nunca há substantivo após “mine”, “yours”, “hers” etc., mas sempre há substantivo após “my”, “your”, “her”, etc.

Saiba mais (em inglês).

 

A Cultura Inglesa ensina inglês britânico?

1 semana atrás ----- Blog


Muita gente nos faz esta pergunta! A resposta é a seguinte: na Cultura Inglesa, os alunos saem prontos para se comunicar em inglês em qualquer lugar do mundo. Os alunos aprendem o Global English.

Nós também ajudamos o aluno a identificar quais as preferências dele – se ele fica mais confortável ao falar com mais influência americana, britânica ou de outras variedades da língua (veja aqui o coordenador acadêmico Rubens Heredia respondendo sobre o tema no minuto 2’45”).

O inglês global é fundamental porque o mundo hoje tem mais não-falantes nativos do idioma do que falantes nativos!

E, além disso, o que se convencionou a chamar de “inglês britânico” é na verdade o que os ingleses chamam de “inglês da BBC” (ou, oficialmente, “Received Pronunciation“) – o inglês falado pela Rainha ou (ainda) pela maioria dos apresentadores de TV.

O “RP” é falado, estima-se, por 3% da população do país, ou seja, a chance de você encontrar alguém na Grã-Bretanha falando o “inglês britânico” é bem pequena! Ele também é apenas uma das mais de 40 variações de sotaques e dialetos do Reino Unido (veja abaixo nosso vídeo sobre os mais importantes sotaques britânicos). O “inglês americano”, embora com menos variações que na Inglaterra, é também uma generalização – os sotaques e termos variam conforme a região, assim como no Brasil.

E é por tudo isso que a Cultura te expõe a diferentes sotaques e termos regionais para que você se comunique com todo mundo!

Dito tudo isso, no entanto, KEEP CALM. A cultura britânica é a grande estrela das nossas unidades, aulas e atividades extra-curriculares. Afinal, o inglês virou global, mas nasceu na terra dos Beatles, do Harry Potter e do Shakespeare, da Dua Lipa, do Onde Está Wally e do Banksy, e não negamos nossas origens 😉

Saiba mais sobre nossos cursos

Talk British to Me #15 – Cozinhando em inglês

1 semana atrás ----- Blog Vídeo

Are you hungry to learn English? O 15º episódio do Talk British To Me, a série original da Cultura Inglesa que mostra o inglês do dia-a-dia em Londres, explora o vocabulário dentro da cozinha! Nosso apresentador e ex-aluno da Cultura aprende a assar um shortbread (típico biscoito escocês) e a fazer o English Breakfast mais simples do mundo. Você vai aprender nomes de utensílios e termos em inglês que usamos ao cozinhar.

Engorde seu vocabulário e anote a receita!

Ligue a legenda em inglês (ou português se seu inglês não estiver tão avançado) para acompanhar tudo o que é dito

A série completa você encontra aqui

A Cultura Inglesa é a escola de inglês mais premiada do Brasil

3 semanas atrás ----- Blog

Que já são mais de 80 anos de excelência no ensino do inglês, você já sabe. Mas sabia que a Cultura já ganhou vários prêmios em reconhecimento?

A instituição acaba de ser eleita pela quinta vez a melhor escola de idiomas pelo prêmio Top Educação!

A Cultura também é bi do Top of Quality e atualmente a tetra campeã do Prêmio O Melhor de São Paulo do jornal Folha de S. Paulo. Fomos eleitos pelos paulistanos, de 2015 a 2018, a melhor escola de idiomas da cidade.

Além da sala de aula, em breve vamos precisar de uma sala de troféus 😀 E tudo graças a vocês! Como somos apaixonados por ensinar, este reconhecimento só nos faz melhorar ainda mais.

Confira abaixo as notícias dos prêmios e saiba mais sobre cada um deles. Descubra também os cursos que a escola de inglês mais premiada do Brasil oferece: http://culturainglesasp.com.br

Prêmios

Pelo 4º ano consecutivo, Cultura Inglesa é a escola mais lembrada

Cultura Inglesa é a única escola de idiomas premiada na edição do Top of Quality

Paulistanos elegem Cultura Inglesa a melhor escola de idiomas da cidade

Cultura Inglesa conquista o tetra do prêmio Top Educação na categoria “Escola de Idiomas” 

Cultura Inglesa vence Top Educação 2018

A diferença entre “pork” e “pig”, “cow” e “beef”, etc

4 semanas atrás ----- Blog EnglishTips

Por que em inglês muitos animais têm um nome, mas suas carnes têm outro? Porque em 1066 a Grã-Bretanha foi invadida!

Os invasores normandos falavam francês e tiveram uma grande influência no vocabulário. Nesta época, eles estavam no topo da pirâmide social e só viam certos animais à mesa.

Já os dominados anglo-saxões, que falavam um antigo inglês, conviviam com os animais vivos nas fazendas e nas caçadas. Enquanto os normandos chamavam o porco do jantar de “porc” (francês), os anglos-saxões chamavam o porco no chiqueiro de “pig”.

Esta diferença social acabou trazendo para o vocabulário dois termos para o mesmo animal. A carne, que estava no cotidiano dos normandos, virou “pork” e o animal, que estava na ponta da língua dos anglos-saxões, continuou “pig“. E isso aconteceu com outros animais, como você vê no vídeo acima.

Curiosamente “chicken”, cuja carne é “poultry”, perdeu esta divisão. No dia-a-dia os ingleses chamam tanto a galinha quanto a sua carne de “chicken“. O mesmo acontece com “fish” que, segundo alguns historiadores, cuja versão francesa nunca se popularizou porque ela soa como “veneno” em inglês (“poisson” é peixe em francês – veneno é “poison”, em inglês).

Então, já sabe. Se você for no mercado no Reino Unido, não vai achar nenhum “pig” na prateleira. É sempre “pork”. Um sanduba de carne de porco também é chamado de “pork sandwich”, nunca “pig sandwich”.

Got it? 😉

Paraisópolis vai ganhar uma Cultura Inglesa gratuita

1 mês atrás ----- Blog

O sonho está virando realidade! Começaram as obras da nova escola da Cultura Inglesa e da ampliação da creche anglicana Renata Eugênia Rodrigues na comunidade de Paraisópolis, zona sul de São Paulo.

O projeto, financiado pela Cultura e desenvolvido em parceria com a Igreja Anglicana e a prefeitura da cidade, vai ampliar a capacidade da creche para 980 crianças e também disponibilizar uma escola de inglês para até 1000 alunos. Os cursos serão 100% gratuitos voltados apenas para moradores da comunidade.

Tanto o novo prédio da creche quanto a escola devem estar operando já no começo de 2019.

“Esse é um momento de orgulho para a Cultura Inglesa. Ao longo de muitas décadas, a Cultura Inglesa faz ações sociais importantes envolvendo aulas de inglês gratuitas para milhares de crianças, mas essa é a primeira vez que temos um projeto exclusivamente nosso. Temos apoiado projetos em Paraisópolis, ensinando inglês para as crianças através do projeto Rugby para Todos, mas agora, em parceria com a Igreja Anglicana e com a prefeitura de São Paulo, estamos começando esse sonho de ter uma escola da Cultura Inglesa para oferecer aulas de inglês de graça para todos os membros da comunidade de Paraisópolis”, disse Derek Barnes, presidente da Associação Cultura Inglesa de São Paulo, na inauguração das obras no último domingo 29. “Esse é um projeto que traz muita felicidade para nós e espero que traga muita felicidade, também, para a comunidade”.

Conheça os projetos sociais da Cultura Inglesa

 

Como admitir um erro em inglês

1 mês atrás ----- Blog

Além, de “sorry”, há outras expressões que você pode usar para assumir a responsabilidade por algo que tenha feito de errado. Mas sempre bom incluir “sorry” no começo de todas elas:

My bad
Informal. Quer dizer “vacilo meu”, essa expressão vem do inglês americano (já em uso no inglês britânico também) e é melhor usada entre amigos

I (really) messed up
“Fiz bobagem”, “Estraguei tudo”. Pode ser usada em ambientes formais também

I dropped the ball
Tem o mesmo significado de “I  messed up”, mas é mais leve

It was my fault
Literalmente: “foi culpa minha”

It won’t happen again
Literalmente: “Não vai acontecer de novo”

How can I make it up to you?
Esta expressão vem depois do pedido de desculpas. Quer dizer: “o que posso fazer para consertar?”, “como posso compensar para você?”

Se você não quer passar perrengue, dê uma olhada nos cursos da Cultura!