Web Content Viewer
Cultura Inglesa exposição – Blog – Cultura Inglesa

Tag: exposição

Venha viver a ‘British Invasion Experience’ em São Paulo

1 ano atrás ----- 20CIF

Screen Shot 2016-05-24 at 15.15.26

Prepare-se, está chegando o 20° Cultura Inglesa Festival! A partir dessa quinta (26), o universo britânico desembarca mais uma vez em São Paulo trazendo espetáculos de dança, teatro, sessões de cinema, artes visuais e música…muita música. E a primeira atração é a mostra “British Invasion Experience”, com entrada free, que rola no Centro Cultural São Paulo até o dia 12 de junho. Se liga no que tem por lá e programe-se!

Vivencie a revolução da década de 1960
A viagem começa com os Beatles, que na década de 1960, estouraram nas paradas mundiais e lideraram várias bandas no movimento chamado de “Invasão Britânica”. Love Me Do, Please Please Me, I Want To Hold Your Hand abriram caminho para a música inglesa em outros cantos do planeta. Logo eram sucesso também, The Animals, The Zombies, Manfred Mann, The Rolling Stones, The Kinks, entre outras bandas.

A influência extrapolou a música, aparecendo na Moda, no Cinema, nas Artes Visuais e na Literatura. A Inglaterra virou hit!

1970’s, 1980’s…
Nos anos 1970, foi a vez da explosão do glam rock com David Bowie e do heavy metal com Led Zeppelin, Black Sabbath e Iron Maiden. O caos social que sacudia a Inglaterra desaguou no punk, com os Sex Pistols e The Clash fazendo um som visceral. E, nos anos 1980, houve o som alternativo dos Smiths e The Cure, além do pop eletrônico de Joy Division e do new wave de Duran Duran. Sim, é muita coisa! E tudo isso você encontra na exposição por meio de recortes de jornal, marcos históricos, fotografias, looks, instrumentos, discos e música, claro.

…1990 e 2000
A experiência continua: liderado pelo Oasis e pelo Blur, na década de 1990, ainda tem a revolução do britpop acompanhada por grandes divas como Amy Winehouse e Adele. Ah, e a influência inglesa não para por aí. Na mostra você ainda encontra as bandas contemporâneas, que vêm da ilha, como: Coldplay, Franz Ferdinand e Kaiser Chiefs, que marca presença no show de encerramento do #20CIF 😉

Anote na agenda:

British Invasion Experience – um passeio histórico pela música britânica
Onde: Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000, Paraíso – São Paulo/SP
Quando: de 26 de maio a 12 de junho
De terça a sexta das 10h às 20h e aos sábados, domingos e feriados das 10h às 18h.
Quanto: de graça!
Mais infos

Conheça o Fantástico Mundo Britânico na sua próxima viagem!

2 anos atrás ----- 19CIF

.
No 19° Cultura Inglesa Festival você tem a chance de vivenciar um pouco do universo mágico de Alice no País das Maravilhas, Harry Potter e Senhor dos Anéis. Essas e outras grandes obras literárias fazem parte da exposição Fantástico Mundo Britânico, que está em cartaz no Centro Cultural São Paulo.

Se você quer ir além e conhecer ao vivo um pouco dos lugares que inspiraram essas histórias, temos uma dica. Acesse o site da Visit Britain e planeje uma viagem para a Grã-Bretanha! São diversas opções de destino, mas no mapa aqui embaixo já tem algumas atrações específicas para você que tem espírito aventureiro. E aí, já escolheu onde vão ser as próximas férias? 🙂

Guia turístico Visit Britain – Fantástico Mundo Britânico (clique na imagem para ampliar)

mapa-visit-edit

Saiba mais: visitbritain.com

Venha vivenciar o Fantástico Mundo Britânico #19CIF!

2 anos atrás ----- 19CIF Cultura Inglesa

.

O 19° Cultura Inglesa Festival já começou e vai até o dia 21 de junho, quando acontecem os shows de encerramento com Johnny Marr (ex-Smiths), The Strypes e a diva Gaby Amarantos. Até lá, quem passar pelo Centro Cultural São Paulo tem a chance de adentrar no Fantástico Mundo Britânico!

A exposição é baseada em grandes obras da literatura fantástica e tem curadoria do atelier Marko Brajovic, que ficou conhecido por montar mostras de sucesso no MIS-SP. Guiado por um grande mapa no chão, o visitante é convidado a mergulhar em vários universos diferentes.

Atrás de cada porta, há mundos como os de Harry Potter, da lenda do Rei Arthur e a Transilvânia, do Conde Drácula. Na instalação dedicada a J.R.R Tolkien, de O Senhor Dos Anéis, vale explorar o conteúdo interativo disponível na telinha; e na de Alice dos País das Maravilhas, decifrar os segredos das cartas.

Bora lá ver (e viver) pessoalmente isso tudo!

Exposição Fantástico Mundo Britânico
Onde: Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, São Paulo/SP
Quando: 4 a 21 de junho
Terça à sexta, das 10h às 20h
Sábado, domingo. e feriado, das 10h às 18h
GRÁTIS

Fantástico Mundo Britânico oferece diversão e prêmios!

2 anos atrás ----- 19CIF

.

Neste final de semana (6 e 7 de junho) rolam diversas atividades do Fantástico Mundo Britânico no Centro Cultural São Paulo. Além da exposição que leva o visitante por um passeio mágico, entre o real e a ilusão, a programação oferece atividades únicas e imperdíveis! Ah, e ainda vai ter distribuição de prêmios!

OFICINA DE ESPADAS + BATALHA ÉPICA

No sábado (amanhã), às 14h começam as inscrições para a Oficina de Espadas. Inspirado na história do Rei Arthur e seus cavaleiros, o grupo de swordplay boffering Draikaner orienta os participantes na confecção de suas próprias espadas.

Os combatentes também aprendem a manusear os equipamentos e as regras para a Batalha Épica, que acontece em seguida. O vencedor, escolhido pelo júri, leva um colecionável “White Walker”, da série Game of Thrones!

brinde1

* O material para a elaboração das espadas será fornecido gratuitamente e é necessário ter, no mínimo, 10 anos de idade para participar –vejas as informações completas

GEEK TALK

Ainda no sábado, das 15 às 17h, rola o bate-papo com os autores Raphael Draccon (Dragões de Éter, entre outros) e Carolina Munhóz (A Fada, Feérica, entre outros). Os escritores falam sobre a influência da cultura fantástica britânica e suas próprias experiências no mundo da literatura.

Além da sessão de autógrafos, serão sorteados entre o público 5 kits com os livros: Cemitério de Dragões, de Raphael Draccon, e Por um Toque de Ouro, de Carolina Munhóz. Corre lá! As senhas para assistir ao bate-papo começam a ser distribuídas 1h antes – veja os detalhe do evento

livros

JOGOS + DESFILE DE COSPLAY

No domingo (7), em parceria com a Livraria Cultura, o #19CIF oferece uma área exclusiva dedicada a jogos das 10h às 18h. Os visitantes terão à disposição jogos de tabuleiro, dados, cartas e games para dançar! Saiba mais

À tarde, em paralelo, acontecem as inscrições para o Desfile de Cosplay – onde o público exibe todo o seu talento e incorpora personagens fantásticos. Os 20 primeiros inscritos garantem ingresso para o bate-papo com o maquiador Stephen Murphy!

O evento conta ainda com a participação de convidados especiais, como a campeã mundial de cosplay Jéssica Pandy, e com o sorteio do colecionável “Cersi Baratheon”, da série Game of Thrones. Não perca! Veja todas as informações aqui

brinde2

 

Bora passar uma tarde divertida com os amigos! Todos os eventos são de graça!

Confira a programação completa do #19CIF

A britânica que achou a flor mais extraordinária da Amazônia

3 anos atrás ----- Blog

 

margaret mee

Nem a senhora e nem a flor nesta foto acima são convencionais. Essa última, extremamente exótica, é a flor da lua. Ela nasce em uma espécie de cacto que só existe na Amazônia, e só floresce embaixo de luas cheias.

Bastante agradável aos olhos, ela também é super cheirosa. Acontece que, na mesma noite de lua cheia em que nasce, a flor da lua morre… A plantinha vive nada mais, nada menos do que uma só noite. E é aí que se explicita a excentricidade do outro ser extraordinário desta foto: Margaret Mee.

Do alto dos seus 79 anos, a artista britânica saiu em um barquinho pela Floresta Amazônica, procurando por essa tal de flor da lua para retratar sua raridade e sua beleza (dá uma olhada em como ficou o registro).

Dá pra entender a felicidade da Margaret naquela foto ali de cima. Ela encontrou mesmo a planta que estava procurando! No meio da noite. No meio da floresta. Aos 79 anos. Sua busca pela flor da lua foi tão bonita e cheia de aventuras que rendeu um documentário, realizado ano passado pela brasileira Malu de Martino, chamado Margaret Mee e a Flor da Lua.

.
A inglesa veio ao Brasil pela primeira vez em 1952, quando começou a dar aulas de artes na Escola Britânica de São Paulo. Em 1956, ela fez sua primeira expedição à Amazônia, que desencadeou, nos anos seguintes, visitas e mais visitas à floresta. Margaret se encantou. E produziu 400 ilustrações a guache, 40 cadernos com esboços e 15 diários de viagem.

Estes incríveis retratos e a maravilhosa história da artista serviram de inspiração para Daniel Caballero montar uma das três exposições de artes visuais do #18CIF: Expedição Botânica Entre Avenidas Paulistanas. A partir das expedições de Margaret (e também de sua parceira britânica Marianne North), a proposta do artista paulistano foi sair por sua cidade registrando a peculiar flora local.

Desde orquídeas amarradas a postes com arames até flores coloridas artificialmente à venda em supermercados, Caballero procura transmitir, através de seus desenhos, a maneira como a natureza que nos cerca hoje em dia tem cada vez menos naturalidade.

Suas obras, inéditas, estarão expostas no Centro Brasileiro Britânico, de 9 a 25 de maio. Fique ligado na programação de artes visuais do #18CIF! Tem muita coisa nova pra descobrir – e é tudo de graça.

Sempre presente, guarda-chuva inspira exposição de esculturas

3 anos atrás ----- Blog

.

umbrella-6

.

Sobre o que é: Criada pelo artista Andrey Zignnatto, é inspirada na excentricidade do britânico Jonas Hanway. Hanway era comerciante e viveu em Londres no século XVIII. Ele se tornou um mito local pelas histórias inusitadas de suas viagens e, principalmente, pelo acessório incomum que carregava sempre na cabeça: um guarda-chuva. As esculturas apresentadas na exposição levam em conta essa história, a estrutura dos guarda-chuvas e utilitarismo do objeto na sociedade contemporânea. O público também irá conferir desenhos com tintas sintéticas e bastão à óleo sobre o papel.

Por que ir: Premiado no 45o Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba pelo IPHAN-MINC em 2013, Andrey Zignnato teve seu projeto selecionado via edital para o #18CIF.

Onde e quando: Mais informações em breve! Acompanhe nosso Facebook e Twitter.

[The Insider] O melhor da National Portrait Gallery

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

Sabe quantos museus há em Londres? Mais de 240! A cidade tem desde museu dedicado à história da anestesia até a galeria de arte moderna mais visitada do mundo (a Tate Modern).

E um dos museus mais simpáticos e agradáveis de se visitar na cidade é o dedicado exclusivamente aos retratos.

Na National Portrait Gallery só tem retratos (pinturas, basicamente, mas também algumas fotos e esculturas) de personalidades britânicas. E trata-se de um dos museus mais visitados da Inglaterra — em 2012, mais de 2 milhões de pessoas passaram por lá!

Um detalhe: a entrada é gratuita, pois uma lei de 2001 exige que os museus públicos do país tenham “free admission“.

Bom, fui na National Gallery com uma câmera na mão para registrar os “highlights” da exposição permanente e também da mostra especial sobre a Rainha Elizabeth II. Dá uma olhada (clique na foto para saber mais sobre cada obra!):.
.

 


13_CIF_insider_15

A cultura de rua também invade o metrô até o fim de junho!

4 anos atrás ----- Blog

.

Já deu uma passada pelas exposições de cultura de rua do 17° Cultura Inglesa Festival? Veja aqui um roteirinho com o que dá para você ver indo e vindo das estações do metrô: 

 

Vila Madalena (linha verde)

Intitulada “Das Ruas para o Mundo – Culturas Jovens e a Moda”, a exposição traz alguns dos estilos que desfilaram pelas cidades do mundo. Boa parte dos figurinos tem relação com a música: clubber, hipster etc. Por lá, você pode se “enquadrar” em alguns deles e ainda criar o seu próprio modelito numa lousa interativa. 

Vila Madalena

.

Barra Funda (linha Vermelha)

O tema da mostra é a arte urbana. “Arte de Rua. Arte na Rua!” traz um pouco da história do grafite, começando pela origem da técnica, passando pela invenção do spray, até os dias atuais. Fotos e textos explicativos ajudam a compor essa linha do tempo marcada por nomes como Nick Walker, convidado do #17CIF que vem para o Brasil participar de um bate-papo!

Barra-Funda

.

Tatuapé (linha Vermelha)

“Reocupe as ruas!” trata dos movimentos de ocupação do espaço público que ocorreram na Inglaterra e/ou no Brasil. Barraquinhas de feira e placas de sinalização ajudam a compor o cenário. Entre ações apresentadas está o “Occupy”, que surgiu durante a crise financeira de 2011, e é apresentada por meio de imagens e vídeos no telão.

Tatuapé

.

Santa Cecília (linha Vermelha)

Uma instalação feita de skates, banquinhos e até jogo da amarelinha fazem parte da exposição “Diversão nas ruas”. Nos painéis são abordados as principais brincadeiras e esportes que acontecem nas ruas de todos os cantos do planeta. Tem Parkour, bike polo e street hockey, por exemplo.

Santa Cecília

.

Bookcrossing – seu livro viajando o mundo

4 anos atrás ----- Blog

.

bookcrossing---Jorunn-D

.

Nos dias de hoje, graças à internet, é possível baixar livros completos com apenas um clique! Porém, convenhamos, é muito mais emocionante encontrar um exemplar por aí, sem querer, com o bilhete de um desconhecido. Daí, você abre e a mensagem diz que “este livro pertence ao mundo, já passou por vários leitores e que, depois de lido, deve seguir viagem.”

Mais comum do que parece, a prática tem nome: bookcrossing! E é um dos assuntos abordados na exposição do 17º Cultura Inglesa Festival que entra em cartaz a partir de sexta (17 de maio), na estação de metrô Tatuapé.

 

Passa ou repassa?

Tudo começou em 2001, quando Ron Hornbaker estava com sua mulher navegando por um site que rastreia câmeras descartáveis perdidas pelo mundo. Já havia outro endereço que localizava notas de dólar em circulação nos Estados Unidos por seu número de série e era até bastante popular. Foi então que Ron teve um estalo: o que mais as pessoas gostaria de rastrear? Por que não livros?

Foi então que, algumas semanas depois, entrou no ar o famoso www.bookcrossing.com. O endereço alcançou fama: ganhou adeptos, virou pauta em programas e jornais e,em 2004, o termo “bookcrossing” já tinha até lugar reservado no dicionário!

O lance se resume, basicamente, a deixar um livro em local público para que outras pessoas o encontrem, leiam e o repassem novamente. A meta é transformar o mundo em uma grande biblioteca, acessível a todos. E os lugares prediletos dos adeptos da prática, que não se contenta em ver os livros nas convencionais estantes, são bancos de praças, transportes públicos, cafés etc. Pode ser qualquer espaço em que o livro esteja bem guardado e corra o risco de ser achado por alguém.

.

livro-esquecido-no-banco

.

Cadê?

Participar desse tipo de ação é simples e pode ser feito por qualquer um, em qualquer lugar do planeta. A comunidade em torno do bookcrossing se espalhou por aí e alimenta blogs, foruns e convenções anuais em vários países.

Para conseguir rastrear seu exemplar, depois de soltá-lo por aí, basta cadastrar o livro em um dos sites relacionados à prática. No Brasil existem, por exemplo, o BookCrossing Brasil e o Livro Livre. Ah, também é possível deixá-los em “zonas oficiais” – onde os livros são deixados propositalmente, com o consentimento do estabelecimento. ´É o caso do Lunático Café (Rio de Janeiro) e da Casa das Rosas (São Paulo) , entre outros.

Gostou? Estão dá uma passada lá na exposição e descubra outros movimentos que ganharam as ruas do mundo. Para mais informações é só acessar a nossa agenda.

Para ver e ser visto no Festival: o óculos virou item fashion!

4 anos atrás ----- Blog

.

John-Lennons-Glasses

É comum encontrá-lo por aí, em diversas cores, tamanhos e modelos. Todo mundo usa – não é restrito a sexo, idade ou cultura. Os óculos deixaram de ser usado apenas por quem tem problemas de visão e hoje em dia virou item essencial na moda, tema aliás que está na exposição do 17° Cultura Inglesa Festival que rola a partir de sexta (17 de maio) na estação de metrô Vila Madalena.

Por lá você encontra os mais consagrados estilos, bastante influenciados pela música, que circularam (e ainda circulam) pelas ruas do mundo. A contar: hippie, clubber, punk, black, hipster e por aí vai. Entre um figurino e outro, sem dúvida, lá estará os óculos. Mas, você já parou para pensar de onde eles vieram?

 

Há mais de mil anos…

O termo tem origem na palavra “ocularium” que, na Antiguidade Clássica, definia os orifícios das armaduras que permitiam ao soldado enxergar. Imagina o sufoco! O conceito de óculos para a correção da visão só veio com as descobertas em óptica que datam lá por volta de 1.200 com os estudos de cientistas e matemáticos como o árabe Alhazen.

O primeiro esboço do acessório, como conhecemos nos dias de hoje, aparece na Itália em 1286. E, no início, ainda muito caro em se tratando de sua produção, foi quase uma marca registrada dos clérigos que passavam boa parte do tempo nas bibliotecas.

Ao longo dos séculos, com o avanço da Física, apareceram os óculos para descanso da vista, para a proteção dos raios ultravioletas e para a correção dos mais diversos problemas (miopia, astigmatismo, entre outros). Mas, engana-se quem acha que só usa quem precisa.

 

Quatro-olhos

Foi-se o tempo em que usar óculos é visto de maneira negativa. O adereço está na moda! Armações dos mais variados tipos, preta, azul, vermelha, com estampa, lente degradê etc. e tal. Vai dizer que você não consegue relacionar um estilo a cada um desses modelos aí embaixo?

.

kenye

.

 audrey-hep

.

gandhi