Web Content Viewer
Cultura Inglesa The Insider – Blog – Cultura Inglesa

[The Insider] Um tour exclusivo pelo Science Museum

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

.

Num museu que tem cinco andares e mais de 300 mil objetos no acervo, o que a gente poderia mostrar em 5 minutos de vídeo?

Pedi ajuda aos universitários. Mais precisamente, à simpática inglesa Anna Fisher, educadora que trabalha no museu e conhece bem a história de (quase) todos os itens em exposição.

Anna me guiou pelas galerias mais famosas e contou um pouco sobre os objetos mais procurados do Science Museum. E, mesmo só focando nos destaques, muita coisa “pop” ficou de fora, como a pedra que veio da Lua, a incrível exposição temporária Collider e o cinema IMAX 3D que tem lá dentro.

Mas esse breve e simpático tour consegue mostrar por que o museu de ciências de Londres é um dos museus mais visitados dos mais de 240 da cidade — ele recebe quase 3 milhões de visitantes por ano! (Sim, Londres, tem museu que não acaba mais e a maioria é de graça, contei essa história aqui na visita à National Portrait Gallery).

Mais sobre o Science Museum, suas atividades e atrações aqui.

.

[The Insider] Será esse o melhor fish & chips da Inglaterra?

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

fishchips

.
A gastronomia britânica talvez tenha pratos bem mais interessantes, mas ainda não apareceu nenhum que conseguisse destroná-lo.

O famoso fish and chips é o prato mais famoso do Reino Unido por uma questão muito simples: sua popularidade.

“I used to eat fish’n’chips at least once a week when I was a kid”, lembra o engenheiro Ian Douglas, 30 anos, um bloke de Grimsby, cidade costeira do leste da Inglaterra.

Ainda hoje, embora seu consumo tenha diminuído nas grandes cidades devido à concorrência da globalização gastronômica (tem até restaurante de “pf” brasileiro na Inglaterra atualmente), esse simples prato de peixe frito com batata frita resiste bravamente (veja sua história aqui)

Junto com o Ian Douglas, o blog do Festival pegou a estrada para o norte para ir atrás de um dos mais tradicionais fish and chips do Reino Unido.

Grimsby e Cleethorpes, sua cidade vizinha (a da foto acima), têm bastante tradição na indústria pesqueira e estão cheias de restaurantes e botecos especializados em fish and chips.

E um desses restaurantes em especial atrai gente de toda a Inglaterra. É esse da foto abaixo, o Steel’s, que fica em Cleethorpes:

steels-cornerhouse-restaurant

Por fora, nada de mais. Mas lá dentro, a viagem de quatro horas de Londres até Cleethorpes começa a valer a pena.

Das cortinas ao uniforme das garçonetes, do aniversário da senhora que completava 60 anos ao bom humor do menu, tudo ali neste restaurante de 1946 é inconfundivelmente britânico.

.
Screen Shot 2014-03-07 at 16.42.16
[ Lista de compras no menu do Steels’ ]

.
Mas vamos ao fish and chips!

Primeiro, você tem de escolher o tipo de peixe: haddock ou plaice (haddock é o que mais sai).

Depois, decidir se quer algum acompanhamento. Salada, feijão de lata ou coleslaw são pedidas comuns. Mas se você está no norte da Inglaterra, o padrão é pedir mushy peas, um purê de ervilha.

Ah, no Steel’s, quando você pede o fish & chips, ganha uma entrada com pão com manteiga e chá.

O peixe vem num prato enorme, junto com os sachês de ketchup, maionese e molho tártaro (vá sempre de molho tártaro!).


A aparência do prato não é exatamente sofisticada. Mas nem precisa, porque não se trata de um restaurante francês e também porque em vinte minutos não sobra nada mais para contar história, nem uma mísera batata.

O peixe é realmente especial: macio, fresco, sequinho e com um batter (a fritura que cobre o peixe) crocante tão gostoso quanto a batata.

O haddock é pescado ali na cidade mesmo.

A batata frita é maior e mais gordinha das que vemos por aí, e o “mushy peas” dá um toque cremoso ao peixe.

Ou seja, é tudo de fato uma delícia e vale cada quilômetro da viagem.

O Steel’s realmente é especialista no assunto. Não é à toa que recebe ingleses de todos os cantos do país e às vezes a fila de espera se estende pela calçada.

Ian, experiente comilão de fish & chips, confirma que este é seu restaurante preferido quando o assunto é fish and chips.

E sugere uma caminhada pela promenade da pequenina cidade para fazer a digestão, onde os restaurantes e pubs dividem espaço com os arcades tão característicos das cidades litorâneas da Inglaterra.

Se você vai para o UK e se animou a comer o — tudo indica — melhor “fish’n’chips” do país, siga as coordenadas.

.

13_CIF_insider_Grimsby 

[The Insider] Como fica a bandeira do Reino Unido sem a Escócia?

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

The new union flag?
.
A Escócia tem um referendo marcado para setembro deste ano que pode tornar o país independente da Inglaterra (o grande sonho de William Wallace, do Coração Valente).

Segundo as pesquisas de opinião mais recentes, embora a independência tenha ganho mais adeptos, por enquanto o “não” está na frente com 49% das intenções de voto (o “sim” tem 37%).

Mas, a vitória do “sim” é uma possibilidade concreta e a mídia inglesa tem levantado questões sobre a separação constantemente. A Escócia está toda semana na BBC, no Guardian, no Times, Sky News, etc, etc.

Os escoceses vão continuar na União Europeia automaticamente? O que acontece com a libra? E a economia de ambos os países? E o que vai acontecer com a bandeira do Reino Unido??

Nós já contamos por aqui no blog que a Union Flag é composta da união das bandeiras da Escócia, Inglaterra e a de São Patrício (representando a Irlanda do Norte).

Portanto, sem a Escócia a Inglaterra vai ter em seu Reino Unido apenas a Irlanda do Norte e o País de Gales.

E, segundo o Flag Institute, 64% dos britânicos acham que a bandeira tem de mudar se a independência vencer o referendo.

As novas possibilidades de Union Jack criadas pelo Instituto são essas abaixo. (Você pode votar na sua preferia aqui!).

Screen Shot 2014-02-26 at 11.46.08.. Screen Shot 2014-02-26 at 11.46.18 ..Screen Shot 2014-02-26 at 11.46.25
.

 

[The Insider] O melhor da National Portrait Gallery

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

Sabe quantos museus há em Londres? Mais de 240! A cidade tem desde museu dedicado à história da anestesia até a galeria de arte moderna mais visitada do mundo (a Tate Modern).

E um dos museus mais simpáticos e agradáveis de se visitar na cidade é o dedicado exclusivamente aos retratos.

Na National Portrait Gallery só tem retratos (pinturas, basicamente, mas também algumas fotos e esculturas) de personalidades britânicas. E trata-se de um dos museus mais visitados da Inglaterra — em 2012, mais de 2 milhões de pessoas passaram por lá!

Um detalhe: a entrada é gratuita, pois uma lei de 2001 exige que os museus públicos do país tenham “free admission“.

Bom, fui na National Gallery com uma câmera na mão para registrar os “highlights” da exposição permanente e também da mostra especial sobre a Rainha Elizabeth II. Dá uma olhada (clique na foto para saber mais sobre cada obra!):.
.

 


13_CIF_insider_15

Jamie Oliver vai dar duas viagens pra Inglaterra nesta terça-feira!

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

.
Jamie Oliver, um dos nossos TOP 5 – Chefs Britânicos, comemora amanhã um ano do Food Tube, seu programa no Youtube, e está sorteando duas passagens para a Inglaterra, com tudo pago, e uma visita a um dos programas! 

Ah, e ainda melhora: você ainda ganha jantares e vinhos nos restaurantes de Oliver! Veja mais detalhes no vídeo aí em cima.

Além da viagem com tudo pago, hospedagem e alimentação, você ainda ganha £500 pra gastar por lá. Já pensou?

Para participar, é só assistir atentamente ao seu programa desta terça-feira. Durante o programa, serão exibidas seis letras. Você só precisa juntar as letras e formar uma palavra ligada a culinária e tuitar com a hashtag #WinFoodTube.

Veja mais detalhes aqui e boa sorte! 

O programa será transmitido no canal do Jamie no YouTube.

 

TOP 5 – Bares inusitados de Londres

3 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa The Insider The Insider Top 5

Quando uma cidade tem tantos bares, cafés e restaurantes quanto Londres, os donos desses lugares têm que se esforçar para chamar a atenção e ganhar os clientes. Essa “competição” gera cada vez mais inovações, maluquices e brincadeiras. Conheça um pouco dos lugares malucos de Londres no nosso TOP 5 da semana!
.

Top5 Um bar depois da descarga

 

portside-parlour-pop-up-bar-rum-cocktails-east-lon1

 

Londres tem vários bares “escondidos” em porões, por baixo dos estabelecimentos “normais”. Um dos mais famosos desses lugares “clandestinos” – há listas e mais listas com os tais dos speakeasy bars – é o Portside Parlour. Para entrar lá, você primeiro tem que entrar em um bar, para depois entrar em um banheiro unissex cuja descarga diz: “Flush to enter” (literalmente: “aperte a descarga para entrar”). O bar em si, com decoração retrô e música boa, é considerado um dos melhores bares de rum da capital inglesa.
.

Top4 O bar com tudo à venda

 

the shop

 

A sua intenção pode até ser sair para beber numa boa com os amigos, mas, se for nesse bar, você pode voltar para casa com algo além da ressaca – por que não uma mesa nova?! 

É que a decoração bem bolada e o nome do The Shop NW10 não são à toa. Lá, dos quadros nas paredes aos móveis onde as pessoas sentam para beber, tudo está à venda. Além disso, a criatividade invade o menu de drinks, onde o Bloody Mary se chama “Pick & Mix Mary” e é totalmente personalizável. O perigo é se empolgar demais, primeiro na bebida e depois na compra…

 

Top3  O bar que cobra por minuto

 

ZIFERBLAT

 

Os poetas russos que começaram o Ziferblat perceberam que, quando ficavam sentado por horas em mesas de cafés e restaurantes, começavam a ganhar olhares pouco amistosos dos garçons – já que não estavam mais consumindo nada. Assim eles tiveram uma ideia inovadora: a de criar um estabelecimento onde esse olhar torto não existiria.

O café / casa de chá / restaurante fez tanto sucesso que se multiplicou pela cidade de Moscou e, no fim do ano passado, abriu em Londres sua primeira casa fora da Rússia. Cobrando 3 pennies (mais ou menos R$0,12) por cada minuto passado lá dentro, o Ziferblat propõe reunir, sem a obrigação de consumir qualquer coisa, gente criativa em um espaço agradável. Lá, são servidas comidinhas, cafés e chás – pelos quais você não paga, a única coisa cobrada é o tempo -, e eventos culturais como shows e exibições de filmes são organizados regularmente. Mas você também pode chegar com seu notebook e ficar numa boa, quietinho, trabalhando e comendo um bolo…

 

Top2 O bar que é um mistério

 

evans

 

A entrada do Evans & Peel Detective Agency, como o nome já entrega, é “disfarçada” de porta para um escritório de detetive. Você só consegue entrar se tiver uma “consulta” marcada. Lá dentro, um misterioso homem vai te perguntar sobre o caso que você quer que ele resolva, e, se você continuar a brincadeira, em poucos minutos vai ser levado para dentro de outro dos mais famosos speakeasy bars londrinos. Com uma decoração temática e drinks e comidinhas memoráveis, o Evans & Peel Detective Agency proporciona uma noite diferente e divertida.

 

Top1 Uma balada de café-da-manhã

 

 

 

Esse não é exatamente um bar, mas é bem inusitado. Que tal dar uma passada na balada antes de ir pro trabalho? Bem-vindo à Morning Glory, a balada londrina que só abre das 6h30 às 10h30 da manhã. A galera que frequenta o lugara decidiu começar seus dias de um jeito bem diferente, com nada mais nada menos do que… uma rave matinal. Dentro de um galpão, DJs tocam música eletrônica, dançarinos profissionais animam as pessoas, aulas de yôga são ministradas e massagens gratuitas são feitas. Tudo ao mesmo tempo. 

Enquanto isso, no bar são preparados smoothies saudáveis e cafés – proporcionando aos clientes uma preparação para o trabalho diferente e muito longe do mau humor. Nada de álcool. E o mais engraçado é que, vendo as danças malucas de quem escolhe começar o dia assim, não dá nem para acreditar que ninguém ali está bêbado…

 

[The Insider] No tapete vermelho inglês com Leonardo DiCaprio

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

Leo DiCaprio in London

.
O blog do Cultura Inglesa Festival se infiltrou no mais famoso tapete vermelho da Inglaterra: a entrada do Odeon Cinema da Leicester Square, no centro de Londres!

É lá que as estrelas do cinema desfilam quando tem estreia de filmes blockbusters no Reino Unido.

O lançamento por aqui de Wolf of Wall Street, filme novo de Martin Scorsese, foi destas superproduções.

Quando tem premiere grande assim como a desta quinta-feira no Odeon, uma das grandes redes de cinema daqui, metade de Leicester Square é cercada já pela hora do almoço. Os primeiros fãs que aparecem ganham acesso para ficar na grade e esperar as celebridades passarem.

A maioria da galera que estava ali esperava pelo Leonardo DiCaprio, com faixas, pôsteres, cartazes, capinha de DVD… Um dos cartazes dizia: “I’ve been waiting for more than 9 hours”.

Odeon de London

Sim, para pegar lugar ali no gargalo, precisa chegar bem cedo, senão só dá pra ver alguma coisa pelo telão.

Alguns gritos eram ouvidos quando alguém mais famoso passava, mas frenesi mesmo, ainda que bastante polido, só quando DiCaprio passou por lá. O ator, sempre com um leve sorriso e um pouco de pressa, gastou uns dez minutos no tapete vermelho: deu autógrafos, posou para os fotógrafos, deu breve entrevista para os repórteres, e posou mais um pouco para fotos (tudo nessa ordem). Depois sumiu.

Todos os mortais que passam pelo tapete (e tem bastante gente, todos convidados da distribuidora do filme, a Universal Studios, e de envolvidos com a divulgação do filme, além de alguns poucos ganhadores de alguma promoção), tem de passar rapidinho. Não dá muito para aproveitar o momento, ou parar para apreciar a paisagem, ou tirar foto. Os monitores e seguranças ficam o tempo inteiro pedindo para as pessoas “please, move, please, move”.

red carpet from inside

Os fotógrafos ficam confinados no seu curral, de onde ninguém entra, ninguém sai, até acabar o evento.

Um apresentador da tevê britânica está lá para animar a “festa”, que era transmitida pelo telão para a praça inteira.

A celebridade mais feliz com a encenação toda era a Margot Robbie, a belíssima atriz australiana que contracena com DiCaprio no filme. Ela estava feliz da vida.

Já DiCaprio estava visivelmente incomodado com o assédio todo. E tratou de cumprir o protocolo com elegância, mas o mais rápido possível.

Depois que todos entram no cinema, o apresentador foi para dentro da enorme sala do Odeon, completamente lotada, e chamou dois produtores do filme, Margot e, finalmente, Leonardo DiCaprio. Os quatro deram tchauzinho para a platéia (DiCaprio sempre meio sem graça com a situação, enquanto Margot era só sorrisos), posaram para as fotos, e foram embora. Não ficaram para ver o filme, que aliás, é bem divertido.

O elenco de Wolf of Wall Street no palco do Odeon

Hoje em todos os jornais havia algo sobre a estreia de Wolf of Wall Street, e as fotos que as estrelas tiraram no tapete vermelho estavam em todos os tabloides da cidade.

Para divulgação, sem dúvida este tipo de evento funciona, pois essas super celebridades do cinema são tratadas como semi-deuses. Mas, de perto, a coisa não tem esse glamour todo, não. E o Leonardo DiCaprio é mais um mortal, bem apessoado, de altura média, incrivelmente bem sucedido no que faz, sem dúvida, mas é de pele e osso, coisa que o tapete vermelho faz questão de esconder.

 

DSC03269

Essa foto é o “Leo” andando pelo corredor do cinema após descer do palco, a caminho da saída. Ele literalmente passou do lado da nossa cadeira, e o cinema inteiro (cuja maioria está acostumada a ver estrelas de Hollywood) virou para assistir. Olha aqui um videozinho do Instagram de uma inglesa que estava na plateia um pouco atrás: http://instagram.com/p/i93xprIhvl/
.

odeon cinema leicester square

Visão da Leicester Square, parcialmente fechada para o público

 

red carpet

A caminhada pelo tapete vermelho com vários “mortais”

telao de dentro do cinema

A telona do cinema, antes do início do filme, mostrava os “melhores momentos” do tapete vermelho
.

Celebrity Fever

A obsessão britânica por celebridades é coisa de profissional.

O secular culto e perseguição à família real é o maior do mundo, de longe, entre os países que ainda possuem monarquia. Em qualquer banca de jornal (as “newsstands“) que você vá, verá um tabloide estampando um VIP na capa, ou contando a última história do julgamento da Nigella Lawson ou mostrando fotos do batizado do bebê George Alexander.

No site do Visit Britain, o site oficial de turismo na Inglaterra, tem lá uma página com lugares para se ver celebridades no país: http://www.visitbritain.com/en/Celebrity-spotting-in-London/

O guia oficial de Londres também dedica uma seção aos melhores restaurantes para se cruzar com algum VIP.

Os famosos que pegam o metrô, como lembra o BuzzFeed, também não passam desapercebidos.

Festas VIP, eventos reais, clubes privados de todo tipo (de lords velejadores a músicos aposentados) que só aceitam convidados de um certo círculo social, baladas exclusivas para membros da alta sociedade… até alguns cinemas têm área VIP!

Todo tipo de aristocracia é celebrada por aqui, das estrelas do mundo pop que todo mundo sabe quem é aos duques e duquesas que ninguém nunca ouviu falar.
.

[The Insider] Jamie Cullum tocando piano em um pub inglês e as rádios da BBC

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

.
Sabia que o cantor Jamie Cullum apresenta um programa de jazz na rádio da BBC na Inglaterra? E dá pra ouvir o programa dele online aqui.

Nesta semana, a BBC Radio 4 transmitiu o primeiro episódio de um documentário apresentado por Jamie chamado Piano Pilgrimage (ou “Peregrinação do Piano”), no qual ele investiga a importância hoje em dia do instrumento na sociedade britânica.

E tem umas “jams” como esta aí, de I Can’t Give You Anything But Love com a dupla inglesa da década de 70 Chas & Dave, gravada num típico pub inglês.

A BBC tem mais de 20 rádios que dá pra ouvir online, em tempo real. As rádios mais ouvidas na Inglaterra são a BBC 1 e a BBC 2, dá uma ouvida de vez em quando que vale a pena: http://www.bbc.co.uk/radio/
.

[The Insider] Por dentro de um mercado de Natal londrino

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

.
Londres está comemorando o Natal desde outubro! E um dos pontos altos da cidade no período das festas de fim de ano é o mercado de Natal do Southbank, que fica pertinho da London Eye (dá pra ver ela no vídeo aí iluminada de azul).

Dá uma olhada aí em cima, tem de neve falsa que nasce na minha mão até alcaçuzes gigantescos.

Nascidos na Alemanha, esses “Christmas markets” são bastente tradicionais na Inglaterra já e o do Southbank é um dos mais populares de Londres.

A trilha sonora principal do vídeo é uma “Christmas carol” (cantiga de natal) de origem galesa chamada Deck The Halls. Com melodia criada no século XVI e a letra em inglês adicionada no século XIX, ela ainda hoje é uma das cantigas natalinas mais populares.

A segunda música que toca no vídeo é Rockin Around the Christmas Tree.

Se quiser saber mais das minhas andanças pro Londres, clique aqui.

Merry Christmas!!

E a palavra em inglês do ano segundo Oxford é: “selfie”

4 anos atrás ----- Blog Cultura Inglesa The Insider The Insider

.
Os dicionários Oxford elegem anualmente, após extensa pesquisa, a palavra em inglês do ano.

Em 2013, não teve pra ninguém: com um aumento de 17.000% em seu uso nos últimos 12 meses, “selfie” foi a vencedora com larga margem de vantagem sobre as vice-campeãs (ela ganhou o troféu antes mesmo de o Obama e o David Cameron tirarem essa foto com a premiê dinamarquesa no funeral do Mandela).

Veja a definição oficial do termo:

Selfie: noun, informal (also selfy; plural selfies)

“A photograph that one has taken of oneself, typically one taken with a smartphone or webcam and uploaded to a social media website”

O primeiro registro do uso desse termo na internet é de 2002. Segundo a Oxford, um australiano bêbado postou em um fórum (já que não existia Facebook ou Twitter ainda) o seguinte texto: “Um, drunk at a mates 21st, I tripped ofer [sic] and landed lip first (with front teeth coming a very close second) on a set of steps. I had a hole about 1cm long right through my bottom lip. And sorry about the focus, it was a selfie.”

 O cara caiu no chão, machucou o lábio e postou essa foto horrorosa pros amigos.

Selfie já até ganhou algumas variações como helfie (selfie de cabelo) e welfie (auto-retrato malhando, selfie de workout).

Leia mais e veja a evolução do uso do termo aqui nessa matéria do Guardian.