Web Content Viewer
Cultura Inglesa março 2014 – Blog – Cultura Inglesa

Mês: março 2014

Monique Maion vence a votação do Run’n’Roll e vai tocar Amy Winehouse em São Paulo

3 anos atrás ----- 18CIF Blog

monique_amy

.
Neste ano, para escolher a atração do #18CIF, a galera da Cultura Inglesa deixou a preguiça de lado e participou da Run’ n’ Roll (veja as fotos aqui). A corrida, que aconteceu no último domingo (30 de março) no centro histórico da cidade de São Paulo, ajudou a definir a programação musical.

E quem ganhou a votação do público com 46% dos votos foi a cantora Monique Maion, com seu repertório em homenagem à Amy Winehouse!

Monique mistura jazz com blues há mais de dez anos e estava no páreo com Bixiga 70, tocando Led Zeppelin, e Thiago Pethit, interpretando músicas do Glam Rock britânico.

A vencedora apresenta seu tributo, também como prêmio aos competidores do Run ‘n’ Roll, no dia 25 de maio no Memorial da América Latina ao lado de Jesus and Mary Chain e Los Campesinos!

Aí embaixo você confere um vídeo no qual ela adianta um pouquinho do que vai rolar:.

.
Além do show no Memorial da América Latina em São Paulo, Monique Maion fará apresentação em Sorocaba, no dia 11 de maio. Em Santos, será a vez da banda Bixiga 70, no dia 16 de maio. Também no dia 16, a cidade de São José dos Campos receberá Thiago Pethit.

.
18cif_minilogo

18º Cultura Inglesa Festival:

De 09 a 25 de maio de 2014 

Shows em São Paulo: 25 de maio, a partir das 12h, no Memorial da América Latina – Praça Cívica

Shows em Santos: 16 de maio, das 21h à 1h, no Capital Disco

Shows em São José dos Campos: 16 de maio, das 22h às 23h40, no Hocus Pocus

Shows em Sorocaba: 11 de maio, das 18h às 23h, no Asteroid

Entrada Gratuita

Gastronomia britânica: a estrela do #18CIF!

3 anos atrás ----- Blog

Como os alunos curadores já adiantaram no vídeo acima, a gastronomia britânica é o tema especial do 18º Cultura Inglesa Festival!

Além de música, cinema, artes visuais, teatro e dança, a culinária da Inglaterra (e as ricas contribuições dos imigrantes) terá destaque na programação do Festival com:

✭ uma edição especial da Feirinha Gastronômica, já tradicional aos domingos na Praça Benedito Calixto, onde serão servidos diversos pratos da culinária britânica!

✭ a exposição “Cultura Inglesa à Mesa” que desembarca na estação República do metrô, e é assinada pelo Atelier Marko Brajovic, responsável pelas aclamadas exposições de Stanley Kubrick e David Bowie.

✭ e pra finalizar em alto estilo, o chef britânico Andy Bates será o convidado internacional da vez! Uma das principais autoridades britânicas em street food e especialista na culinária britânica clássica, ele traz algumas de suas receitas típicas para a Feira, além de um bate-papo sobre gastronomia de rua.

Show, né? Confira aqui a agenda de eventos e prepare o apetite!

TOP 5 – Mistakes that changed the English language

3 anos atrás ----- Cultura Inglesa Read All In English

 

Languages are dynamic, and English is no exception to the rule. Throughout history, a lot of the changes that the English idiom went through came from everyday “mistakes”.

There are some patterns of behaviour people keep doing relentlessly that drive those errors into the official grammar and spelling rules. (But please do not use this universal truth as an excuse to get bad grades in school!)

Take a look at the five most interesting (and sometimes useful) mistakes that changed (and keep changing) the English language:

.

Top5 Messing up the letters

.
horse

.
There are sequences of letters in particular words that sounded unnatural to so many people, and for such a long time, that implicitly and little by little they simply got rearranged or respelled in order to facilitate the pronunciation. This process is called metathesis and happened with the words iron, nuclear, comfortable, pretty, horse and prescription (they used to be: iern, nucular, comfterble, purty, hros e perscription). Much easier to read them now, right?

[Source: Wikipedia, Guardian]
.

Top4 Merging the letters

illuminated_scribe

This is a funny story: in the Middle Ages, words were written so close to one another you couldn’t exactly tell where one began and the other ended. So letters started “jumping” in-between words.

The same phenomenon happens when we speak two very nasal words close together. That’s why we have words like “apron”, “adder”, “lone” and “nickname”. The words “apron” and “adder” used to begin with an n (“napron”, “nadder”), but when you say “mine napron” or “a nadder”, the second nasal sound disappears into the article that comes first. Try saying “mine napron”. Now say “mine apron”. It’s pretty much the same thing…

The modern word nickname originated from the expression “eke name”, which was used to refer to an “additional name” (that’s what “eke” means). But, with time, “an eke name” melted together and now we say “a nickname”.

[Source: Wikipedia, Guardian]

 

Top3 The ghost letters

.
thunder thunder

Some transformations took place because of a weird thing people do, which is putting new letters into words. One of people’s favourite places to do that is between a nasal and a non-nasal sound. That’s exactly why we now have the words “thunder” and “empty” (they used to be “thuner” and “emty”). And that’s what is happening nowadays to “hamster” and “warmth” – sometimes they are pronounced with an additional p (“hamspter”, “warmpth”) simply because it’s more comfortable to enunciate.

The opposite can occur as well. “Handsome”, for instance, now has a silent d.

[Source: Wikipedia, Guardian]

 

Top2 The travelling words

.
ski

Some words pop up out from somewhere else to join our vocabulary. They’re foreigners who arrive with this weird pronunciation that has nothing to do with their spelling. When words travel into our language, we normally have two options: either learn how to pronounce them the original way or just say them the way our phonetics tells us to.

More often than not, we take the easiest path. It happened with the Norwegian word “ski”, for example. In Norway “sk” sounds like “sh”, so, at first, English people used to say “shi” instead of “ski”. But as time went by, the majority adopted the “English way”, pronouncing the k as k and eventually “ski” became the official pronunciation.

[Source: Wikipedia, Guardian]

 

Top1 The stolen words

.
Quit_d41dfc_153271

Linguists call this a “syncope”, and it is quite a common driving force within live languages. In Portuguese, syncope turned “vossa mercê” into “você” and makes Brazilians actually saying “cê” in their everyday life. In English, syncope is behind the origin of Wednesday. “Woden’s Day”, the Nordic god Odin’s day, became “Wednesday” (from which, by the way, you don’t even hear the d anymore). The same happened to Christmas: it came from “Christ mass” and nobody remembers to pronounce the t anymore – we wish each other a merry “chrismas”, right?

“Right”, by the way, lost its t as well on the streets of East London. We may end up spelling “righ” in the foreseeable future…

[Source: Guardian]

TOP 5 – British recipes that can mess with your head

3 anos atrás ----- Cultura Inglesa Read All In English

Some people say Italy, France, Brazil and other countries have “cuisine”, while Britain has just “food”– but the truth is that, little by little, this has been proven to be nothing but a myth.

After all, British cuisine has been changing and adapting itself for a while now and it’s definitely prospering (not by accident, a lot of british chefs have actually become worldwide known celebrities).

Still, if you try to get to know traditional british food better, you might find some aspects of it a little weird. That’s because we’re not used to some of the UK’s favorite ingredients, and even when they’re cooking “normal” things, they still manage to do it in some pretty bizarre ways… Also, they’ve got a whole lot of different pies and puddings, and you can never really tell if they’re sweet or savoury.

We’ve selected a list of typical british recipes that can get you pretty confused – do you think you can tell which ones are sweet and which ones are savoury?

 

Top5  Yorkshire Puddings

76fbe74258da8bc1371ed0018bc83589

Yes, they’re called puddings, but, no, they don’t look like the puddings we’re used to eating in Brazil. They say these fried pastries were invented in order to reuse the fat that drops from roasted meat.

So, you get it, right? They’re definitely not served as dessert. Check out the recipe here.

Top4 Steak and Ale Pudding

7744012_orig

Now, this pudding might look a little more familiar to you than the first one. But this one is savoury! “Steak and Ale Pudding” is – obviously – made of steak. You can see the recipe here.

Top3 Ecclefechan Tart

Ecclefechan-tart-1

At this point, you’ve probably already realised that the fact that something is called a “pie” does not mean it tastes like one.

That pie looks like a pizza, right? But hold the phone! This Scottish pie is actually sweet. The filling has raisins and walnuts. Oh, by the way, Ecclefechan is a small village in Scotland. Check out the recipe here.

Top2 Black Bun Cake

black bun cake

This one might look like what Brazilians call “empadão”, which is savoury, but that dish is called cake. Ok, another hint: the Black Bun Cake is generally served at New Year’s Eve at… dessert time!

Yes, it’s a cake, and it’s sweet. Recipe: here.

Top1 Stottie Cakes

stottie cakes

Stottie Cakes! This is easy, they’re called cakes and, by the picture, you can tell they’re sweet.

Actually, they’re a sort of Scottish bread, and are therefore: savoury! Stottie cakes are usually filled with ham, bacon or sausages. Check out the recipe here.

.
Do you wanna get to know the British cuisine a little better 
and learn how to cook lots of different recipes? Go to our Pinterest board “British Cuisine”!

.

[The Insider] Um tour exclusivo pelo Science Museum

3 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

.

Num museu que tem cinco andares e mais de 300 mil objetos no acervo, o que a gente poderia mostrar em 5 minutos de vídeo?

Pedi ajuda aos universitários. Mais precisamente, à simpática inglesa Anna Fisher, educadora que trabalha no museu e conhece bem a história de (quase) todos os itens em exposição.

Anna me guiou pelas galerias mais famosas e contou um pouco sobre os objetos mais procurados do Science Museum. E, mesmo só focando nos destaques, muita coisa “pop” ficou de fora, como a pedra que veio da Lua, a incrível exposição temporária Collider e o cinema IMAX 3D que tem lá dentro.

Mas esse breve e simpático tour consegue mostrar por que o museu de ciências de Londres é um dos museus mais visitados dos mais de 240 da cidade — ele recebe quase 3 milhões de visitantes por ano! (Sim, Londres, tem museu que não acaba mais e a maioria é de graça, contei essa história aqui na visita à National Portrait Gallery).

Mais sobre o Science Museum, suas atividades e atrações aqui.

.

TOP 5 – Comidas inglesas que podem te enganar

3 anos atrás ----- Cultura Inglesa

Dizem por aí que os países têm “culinária” e o Reino Unido só tem “comida” – mas, pouco a pouco, essa fama vem se desfazendo. A cozinha britânica vem se modernizando há um tempinho, e, hoje em dia, uma grande parte dos chefs mais famosos do mundo vêm do UK.

Mesmo assim, se você for procurar conhecer um pouco melhor a gastronomia britânica tradicional, vai ficar, no mínimo, intrigado. Não estamos acostumados a alguns dos ingredientes que eles curtem usar, e, mesmo quando o conteúdo do prato é comum, ele pode vir apresentado da maneira mais bizarra possível. Além disso, eles têm mil tortas e pudins diferentes, que – veja só – podem ou não ser doces. Selecionamos os pratos típicos britânicos que, além de gostosos, podem te confundir – será que você consegue distinguir qual é doce e qual é salgado?

 

Top5  Yorkshire Puddings

 

76fbe74258da8bc1371ed0018bc83589

Sim, eles são chamados de pudim, mas, não, eles não se parecem com o pudim que você conhece.
Diz-se que esses bolinhos fritos surgiram como maneira de reutilizar a gordura que sobrava (e pingava) de carne assada no espeto. Entendeu, né? Eles não são servidos na hora da sobremesa, não.
Veja a receita aqui.

Top4 Steak and Ale Pudding

 

7744012_orig

Esse pudim pode até ser um pouco mais parecido com o que você conhece. Mas quem sabe o nome já tenha entregado a charada… O Steak and Ale Pudding é feito de carne.
Veja a receita aqui.

Top3 Ecclefechan Tart

 

Ecclefechan-tart-1

Até aqui, você já aprendeu que o fato de um prato se chamar “torta” e ter cara de torta não quer dizer nada.
Olhando o recheio dessa daqui, salames e carnes secas podem vir à cabeça. Mas não… Essa torta escocesa é doce mesmo.
Veja a receita aqui.

Top2 Black Bun Cake

 

black bun cake

Parece um empadão, mas tem nome de bolo…
O Black Bun Cake geralmente é servido na noite de Ano Novo – na hora da sobremesa.
Veja a receita aqui.

Top1 Stottie Cakes

stottie cakes

Os Stottie Cakes podem até parecer estar repletos de açúcar, nessa foto.
Mas eles não são bolinhos, e sim pãezinhos (salgados) escoceses, geralmente recheados com presunto, bacon e linguiças.
Veja a receita aqui.

Conseguiu acertar qual comida é o quê? Conheça melhor a culinária britânica – a tradicional e a moderna -, aprendendo várias receitas no nosso Pinterest!

.

TOP 5 – Erros que mudaram a língua inglesa (e viraram acertos!)

3 anos atrás ----- Cultura Inglesa Top 5

As línguas são dinâmicas, e o inglês não é exceção à regraAo longo da história, várias alterações no inglês surgiram de coloquialismos que já foram considerados erros, mas que acabaram por moldar o idioma (tanto o oral, quanto o escrito).

Esse top 5 mostra a origem de algumas palavras atuais da língua inglesa que vieram de escorregões do passado, e que caíram na boca do povo. (Atenção: não vai me usar a evolução linguística como desculpa pra tirar nota baixa na escola!):
.

Top5 As letras bagunçadas

 

horse

A confusão que acontece na cabeça da gente quando nos deparamos com a ordem das letras de certas palavras é gatilho para várias alterações no vocabulário. Algumas foram rearranjadas. É o caso de iron, nuclear, comfortable, pretty, horse e prescription, por exemplo. Antes, a grafia dessas palavras era, respectivamente: iern, nucular, comfterble, purty, hros e perscription. Facilitou, não?

[Fonte: Wikipedia, Guardian]
.

Top4 Letras que pulam de palavras

illuminated_scribe

Essa história é bem curiosa: na idade média, as palavras eram escritas tão perto umas das outras que não dava para distinguir onde começava uma e terminava a outra. Letras, então, foram “saltando” entre as palavras, gerando alterações como as das palavras “apron”, “adder”, “lone” e “nickname”. As palavras “apron” e “adder” costumavam ter um n no começo (“Napron”, “nadder”), mas isso foi ficando confuso a cada vez que se usava o artigo indefinido na frente delas. Praticamente, não existe diferença de pronúncia entre “an apron” e “a napron”, o que gerou a supressão do n, com o tempo.

Com “nickname”, a história foi parecida: antes, a expressão “eke name” era usada para designar um “nome adicional”. De tanto usá-la perto do artigo “an” (“an eke name”), o tal do nome adicional virou “nickname”.

[Fonte: Wikipedia, Guardian]

Top3 A letra fantasma

 

thunder thunder

Há também uma leva de mudança que surge a partir de uma estranha necessidade das pessoas de colocar letra onde não tem. Um dos espaços nas palavras que mais abrigam letras novas é o vão entre um som nasal e um som não-nasal. Isso aconteceu nas palavras “thunder” e “empty”, que já foram “thuner” e “emty”; e está acontecendo com “hamster” e “warmth”, às quais os anglófonos andam adicionando um p (“hampster”, “warmpth”) e “fence”, que tem sido ouvida por aí como “fentce”.

[Fonte: Wikipedia, Guardian]

Top2 A letra que muda de som quando viaja

 

ski

.
Tem umas palavras que parecem “pousar” no nosso vocabulário de repente, com uma pronúncia que não tem nada a ver com a grafia. Geralmente, elas são estrangeiras, e a gente pode aprender a falar do jeito original, ou ler do nosso jeito o que parece estar escrito no papel.

É o que aconteceu em inglês com a palavra “ski”. Originária do norueguês, língua em que “sk” é lido como “sh”, a palavra surgiu na Inglaterra sendo pronunciada “shi”. Com o tempo, a galera passou a ler “ski”, e a pronúncia se oficializou. Essa mesma dinâmica acontece atualmente com palavras como “often” (apesar de a maioria das pessoas dizer “offen”, ultimamente aquele “t” está querendo aparecer também) e “clothes” (que, geralmente, se pronuncia “close”, mas tem sido ouvido como “clothes”, com “th”, mesmo).

[Fonte: Wikipedia, Guardian]

Top1 As letras engolidas

 

Quit_d41dfc_153271

Conhecido pelos entendidos como “síncope”, esse é um dos processos mais comuns que sofrem as línguas vivas. É o que fez a expressão em português “vossa mercê” virar “você” com o tempo, e o que faz com que, na verdade, a gente diga “cê” no dia a dia. No inglês, essa tal de síncope fez com que o “Woden’s Day”, originalmente o dia do deus nórdico Odin, virasse “wednesday” (e o d que restou nem é pronunciado). O mesmo acontece com o natal da língua inglesa: ninguém lembra do t de Christ, e “christmas” vira praticamente “chrismas”.

[Fonte: Guardian]

A escolha da banda nacional do #18CIF entra na reta final

3 anos atrás ----- Blog

monique_amy

.
Nesta edição do Cultura Inglesa Festival, os alunos da Cultura Inglesa vão ter a chance de literalmente correr pela banda que eles mais gostam!

Com o Run’n’Roll, a já tradicional votação pelos alunos para escolher a banda nacional que prestará tributo a um ícone britânico no palco principal do Festival ganhou mais uma etapa. Isso porque o voto de quem participa da corrida gratuita para alunos e staff da Cultura Inglesa valerá mais! Massa, né?

A corrida será no dia 30 de março. As inscrições já estão encerradas, assim como a votação pela internet.

Estão no páreo para tocar no palco #18CIF em São Paulo: Monique Maion (foto aí em cima), Thiago Pethit e Bixiga 70, com homenagens a Amy Winehouse, Glam Rock britânico e Led Zeppelin, respectivamente.

Quem você acha que leva? Acompanhe o resultado por aqui depois do dia 30!

O vencedor toca junto com The Jesus And Mary Chain e Los Campesinos! no dia 25 de maio no Memorial da América Latina – Praça Cívica.

Confirmado! The Jesus and Mary Chain e Los Campesinos! são as atrações britânicas do #18CIF

3 anos atrás ----- 18CIF Blog Cultura Inglesa

Screen Shot 2014-03-21 at 17.07.37

Os escoceses do The Jesus and Mary Chain vão comemorar os 30 anos de banda com os fãs brasileiros! A banda fecha o 18º Cultura Inglesa Festival dia 25 de maio no Memorial da América Latina – Praça Cívica.

A incrível banda galesa Los Campesinos! completa o lineup britânico do Festival, que conta ainda com um tributo de Monique Maion à britânica Amy Winehouse.

Uma das mais importantes bandas do rock britânico, o The Jesus and Mary Chain tem seis discos de estúdio e duas passagens pelo Brasil no currículo. Referência para rockeiros de todas as idades, suas performances são sempre cheias de surpresas.

Já o Los Campesinos! se formou em 2006 e tem cinco discos no currículo – o último deles, ‘No Blues’, de 2013, amplamente aclamado pela crítica. É a primeira vez do grupo no Brasil, e eles não esconderam a animação no Facebook 😉

Monique Maion fará um tributo à Amy Winehouse. Ela foi escolhida pelos alunos da Cultura Inglesa através do concurso Run ‘n Roll. A outra atração brasileira é a banda formada por alunos da Cultura Inglesa, Voliere, que apresenta composições próprias e covers.

Veja como retirar seu ingresso!

Confira também a programação completa do Festival!
.

18 Cultura Inglesa Festival

O Cultura Inglesa Festival, que faz parte do calendário cultural de São Paulo, este ano acontece entre os dias 9 e 25 de maio. A programação será recheada de música, gastronomia, cinema, artes, teatro e dança.

Os shows em São Paulo serão no dia 25 de maio, a partir das 12h, no Memorial da América Latina – Praça Cívica (entrada gratuita)

Os espetáculos inéditos que estarão nos palcos do Festival já estão confirmados, confira a lista de atrações aqui.

E acompanhe o blog para mais novidades do show e do #18CIF, pois vem muito mais por aí!

Veja abaixo algumas músicas dos dois grupos britânicos. Vai ser demais!!
.

.
18º Cultura Inglesa Festival

De 9 a 25 de maio de 2014

 

Do jokes get lost in translation?

3 anos atrás ----- Read All In English

Screen Shot 2014-03-20 at 15.07.02

.
Is a gag always funnier in its mother tongue? British newspaper The Guardian asked its readers across the globe to submit local jokes to check if they would survive the trip to English.

In the video above, you can see a selection of German, Mexican, Hungarian, Indian and Brazilian jokes told in the original language and then in English.

The Brazilian classic “não, nem eu” joke is on the list! Check it out here.

versaoPT