Web Content Viewer
Cultura Inglesa fevereiro | 2013 | Blog – Cultura Inglesa

Mês: fevereiro 2013

Em 2013 o Cultura Inglesa Festival começa mais cedo!

4 anos atrás ----- Blog

.
A invasão britânica este ano já tem data marcada! Do dia 17 de maio a 30 de junho, as cidades de São Paulo, Campinas, Santos, São José dos Campos e Sorocaba receberão as atrações do maior festival de cultura britânica do Brasil.

Serão shows, baladas, teatro, dança, cinema e muitas outras atrações. Conheça os curadores desta edição do Festival. Estão preparados para o 17CIF?

As atrações já definidas na programação são aquelas apoiadas pelo Edital do 17CIF, mas vem muito mais por aí! Nesta edição, teremos um novo tema que será homenageado (ano passado foi o Universo Esportivo Britânico, qual será a bola da vez?). 

Em breve, divulgaremos as grandes atrações britânicas por aqui, além dos concursos culturais e muita informação. Então fique de olho no Twitter e Facebook!

Os curadores do 17CIF

4 anos atrás ----- Cultura Inglesa

Conheça os curadores que ajudaram a escolher a programação do 17CIF!

.

Claudia Marchetti

Cursou a Faculdade de Artes Plásticas na FAAP- Fundação Armando Alvares Penteado e Pós graduação M.A. em Artes Plásticas na Goldsmiths’s College –Universidade de Londres. Em 1993 retornou ao Brasil, onde participa em diversas exposições individuais e coletivas como artista plástica. Em 2002 deu inicio a vários projetos de idealização e produção de exposições relacionadas a arte contemporânea Britânica e Brasileira, todas realizadas no centro Brasileiro Britânico em São Paulo, com patrocínio da Cultura Inglesa, entre elas, “Painting as a Foreing Language” 2002, “Paper Democracy” 2004, “Rock Jason Martin” 2008 e “Fast Forward” 2010. Em 2010 funda a ArtEEdições um escritório de arte que representa com exclusividade no Brasil os dois maiores editores de gravura contemporânea do Reino Unido, além de oferecer consultoria sobre arte em geral.

Fabio Cypriano

Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde é professor nos cursos de graduação (Jornalismo e Arte: História, Crítica e Curadoria) e pós-graduação lato sensu de ambos programas. Atua como crítico de artes plásticas e repórter da “Folha de S. Paulo” , é colaborador da revista inglesa “Frieze”, da italiana “Flash Art” e autor de “Pina Bausch” (Cosac Naify, 2005), entre outros.

 

 

 

Júlio Landmann

Diretor da Wallerstein Industrial e Comercial Ltda, Conselheiro da Fundação Bienal de São Paulo desde 1992 e Membro do Conselho de Honra da Fundação Bienal de São Paulo desde 1999. É também Vice Presidente do Conselho de Administração da APAC – Associação Pinacoteca Arte e Cultura, Conselheiro da Sociedade Amigos da Cinemateca Brasileira e Membro da Diretoria da Associação Cultura Inglesa São Paulo. É Conselheiro e Sócio-Fundador do Instituto Arte na Escola (Fundação Iochpe), Membro do Conselho Honorifico do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP) e Membro do Conselho Empresarial Brasil – Colômbia. Em 2001 foi condecorado Comendador pela Orden Nacional al Mérito, em reconhecimento pela divulgação da cultura Latino-Americana e em 2002 foi condecorado Comendador pela Ordem do Mérito Cultural.

Marcelo Mattos Araujo

Secretário de Estado da Cultura de São Paulo desde abril de 2012. É especialista em Museologia pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, e doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Advogado e museólogo é diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo desde 2002. Anteriormente foi diretor do Museu Lasar Segall, também em São Paulo (1997 a 2001). Colabora com várias instituições museológicas no Brasil e no exterior, tendo atuado como assessor da Fundação Cultural Ema Gordon Klabin, em São Paulo. Foi professor do Curso de Especialização em Museologia do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP (1999-2006). Foi Presidente da Associação Paulista de Museólogos (1987), Presidente do Conselho Regional de Museologia de São Paulo (1989), membro do Conselho Federal de Museologia, e membro do Conselho Executivo do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus – ICOM (1994 – 2009).

Martin Grossman

Diretor Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo / IEA-USP. Professor Titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo / ECA-USP. Idealizador e Curador-Coordenador do Fórum Permanente: Museus de Arte, entre o público e o privado. Editor da Coleção Fórum Permanente de Livros. Diretor do Centro Cultural São Paulo (Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo) de julho 2006 a maio de 2007. Curador de arte moderna e contemporânea. Principais exposições: Ao Cubo, Paço das Artes, março de 1997 (em parceria com Luciana Brito); O Brasil no Século da Arte, abril-agosto 1999, Galeria de Arte do SESI / MAC-USP, entre outras.

 

Daniel Gaggini

Diretor e curador do Festival Pop de Cinema, Festival de Cinema de Santa Cruz do Sul – RS e do Festival Cine Favela de Cinema, maior evento dedicado ao cinema periférico do mundo, além de ser idealizador dos projetos Cinemix e Curta na Praça. Como cineasta, acaba de lançar seu primeiro longa-metragem Satyrianas, 78 horas em 78 minutos, que teve sua première na mostra competitiva do Festival do Rio e foi um dos 05 mais votados pelo público na 36a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Atualmente, desenvolve, na Comunidade de Heliópolis, o projeto Vira-Latas de Aluguel, que visa capacitar jovens no fazer teatral.

 

Newton Cannito

Roteirista, escritor e diretor. Em televisão criou e foi roteirista chefe da série “9mm-São Paulo” sobre a polícia civil, exibida na FOX e vencedora do premio APCA de melhor programa de Teledramaturgia em 2008. “9mm” lançou novos episódios em 2011, repetindo o sucesso. Foi também roteirista da temporada 2005 da série televisiva “Cidade dos Homens”, exibida na Rede Globo, realizada pelos mesmos criadores do filme “Cidade de Deus” e um dos maiores sucessos da televisão brasileira recente. Em telenovelas foi colaborador do premiado autor Lauro César Muniz na novela “Poder Paralelo” (Record). Foi supervisor artístico do FICTV, programa de produção de séries para a TV Brasil. Foram produzidos oito pilotos de seriados e três seriados completos, com 13 episódios ( “Vida de estagiário˜ , “Brilhante” e Natalia”). No cinema escreveu, entre outros , ˜Broder˜ (dirigido por Jéferson De e coproduzido pelo Globo Filmes) e “Quanto Vale ou é por Quilo?”, do diretor Sérgio Bianchi. É presidente da Associação dos Roteiristas de Televisão e outras Midias (www.artv.art.br) e foi Secretario do Audiovisual do Ministério da Cultura durante o Governo Lula. É doutor em Televisão pela ECA –USP e publicou 4 livros: ˜Manual de Roteiro”(Conrad), “A televisão na Era Digital” (Summus), “Novos Monstros” (contos,Geração) e “Confissões de Acompanhantes”(humor, FICs). Como diretor dirigiu documentários premiados como “Jesus no Mundo Maravilha” e “Violência S.A”.

Rafael Sampaio

Rafael Sampaio é curador, produtor e programador de mostras e festivais de cinema tais como ‘“Luc Moullet: Cinema de Contrabando”, “Chris Marker, bricoleur multimídia”, “‘Brasil Anos 80 – Cinema e Vídeo”, “Péter Forgács, arquitetura da Memória” entre outros. Trabalhou em instituições como MIS-SP, Cine Olido e Cinemateca Brasileira. Em 2008 fundou a empresa Klaxon Cultura Audiovisual, focada na difusão e formação de repertório e púbico para audiovisual e treinamento profissional. É codiretor do BrLab, laboratório de desenvolvimento de projetos latino-americanos Brasil, organizado pela Associação do Audiovisual em parceria com a Klaxon. Colaborou em festivais como Jornada Brasileira de Cinema Silencioso, Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, Traffic – Festival de Cultura e Cinema Asiático de São Paulo e Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, entre outros. Na sua produtora, também responde pelo desenvolvimento de projetos para cinema e televisão.

.

André Deak

Pós-jornalista, produtor multimídia, web producer, professor. Trabalha há mais de 10 anos com projetos para jornalismo e comunicação na internet. Coopera na Casa da Cultura Digital desde 2009, de onde coordena o site Jornalismo Digital.org e a iniciativa Arte Fora do Museu. Foi repórter freelancer para as revistas Rolling Stone, Carta Capital, Caros Amigos e outras, quando produziu reportagens de quase todos os países da América do Sul e Europa ocidental. Co-organizador do livro Vozes da Democracia (2006). Viveu em Brasília, onde foi editor multimídia durante o processo de deschapabranquização da Agência Brasil, até 2007. Até 2012 coordenou a estratégia e a execução das soluções web da cpfl cultura. Prêmio Vladimir Herzog 2008, categoria internet. Indicado em 2012 ao Best Blog Awards, da Deustchewelle. Ministra cursos e palestras sobre jornalismo online e interfaces interativas (USP, UERJ, UFSC, PUC-SP, Unimep, Cásper Líbero, Faap, Comunique-se, Diários Associados, Abraji, Editora Abril, entre outros). Mestre pela ECA-USP na área interfaces sociais da comunicação, com o estudo “Novos jornalistas do Brasil: processos emergentes do jornalismo na internet”.

Felipe Lavignatti

Jornalista formado na Cásper Líbero – e com pós-graduação em jornalismo cultural pela PUC-SP – com experiência em internet, agência, jornal, revista, rádio e TV. Coopera na Casa da Cultura Digital desde 2009, de onde coordena a iniciativa Arte Fora do Museu e o Jornalismo Digital.org. Em rádio, começou fazendo produção, pauta, locução e apresentação de jornal nas rádios Dumont FM e Difusora AM de Jundiaí. Em São Paulo, participou como repórter, produtor e locutor do projeto Jornal dos Trabalhadores, da Rede CUT de Rádio, na Rádio 9 de Julho. Trabalhou no setor de mídia da Agência Estado e como estagiário do Programa Sílvia Poppovic, na Rede Bandeirantes de Televisão. Colaborou com diversos veículos, entre eles os jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde (principalmente nos cadernos culturais), as revistas Bizz e Aventuras na História e o site da Época Negócios. Em internet, participou da criação do canal de especiais multimídia do estadao.com.br, onde foi editor assistente, além de trabalhar em outras áreas do portal, como os cadernos Paladar, Link, home e na versão online do jornal. Comandou também no estadao.com.br um podcast sobre música e cultura pop, o SUB. De 2009 a 2012 trabalhou como editor do site da cpflcultura.com.br.

.

Alejandro Ahmed

Coreógrafo residente, diretor artístico e bailarino do Grupo Cena 11 Cia. de Dança. Seu trabalho como coreógrafo surgiu de forma autodidata, respondendo à necessidade que possuía de integrar a maneira como pensava o mundo e a dança que experimentava. Junto ao Cena 11, promoveu o desenvolvimento de uma técnica que objetiva produzir uma dança em função do corpo. Um corpo capaz de processar melhor as idéias contidas na movimentação. Esta técnica foi nomeada de “percepção física” e é um dos pontos que estrutura o trabalho de Alejandro Ahmed. Seu olhar sempre esteve voltado para os limites do corpo e as possibilidades que este propõe para a transformação do corpo do outro, sendo este “outro” um espectador e/ou um cúmplice da ação a que o corpo é submetido.

Cássia Navas

Professora-doutora do Instituto de Artes (IA)/Universidade Estadual de Campinas, é graduada em direito (USP), doutora em dança e semiótica (PUC/SP), pós-doutora em artes (ECA/USP), especialista em gestão e políticas culturais (UNESCO, Université de Dijon, Ministère de la Culture/France). Tem experiência na área de dança, em semiótica/artes e em gestão cultural, atuando principalmente dentro dos seguintes temas: dança, dança moderna, dança contemporânea, dança no Brasil, documentação/memória e políticas e gestão em cultura e é coordenadora da Extensão do Instituto de Artes (IA). Pertence ao conselho editorial das revistas URDIMENTO (Universidade Estadual de Santa Catarina), da REPERTÓRIO (Universidade Federal de Bahia), entre outras. Atuou como consultora do TEATRO DE DANÇA- TD (Secretaria do Estado da Cultura e APAA- Associação Paulista dos Amigos das Artes), escrevendo ainda, dentro das prerrogativas de seu projeto de pesquisa “Um topus como dramaturgia de origem: dança no Brasil, do Brasil, sobre o Brasil”, alguns dos pré-roteiros para os programas Dança Contemporânea (módulos 2009-11), da SESC TV (SESC São Paulo). Em 2012, foi consultora das Plataformas Estado da Dança, da Secretaria de Estado da Cultura.

Flávia Couto

Pesquisadora e crítica de dança. Desde 2010, colabora para o jornal Folha de S.Paulo. Recentemente, passou a integrar a Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Graduada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP) em Comunicação das Artes do Corpo nas habilitações de Dança e Performance. Com orientação da professora-doutora Helena Katz, apresentou o estudo “A crise do conceito de identidade cultural no solista de dança contemporânea: a criação de Letícia Sekito”, que foi premiado como Melhor Pesquisa Científica em Artes no 19º Encontro de Iniciação Científica da PUCSP. Foi criadora-intérprete no projeto teórico/prático “Dança e Improvisação: por um método para o processo de criação” proposto pela professora-doutora Gaby Imparato e fomentado pelo Proac – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo/Secretaria de Cultura.

.

Lúcio Ribeiro

Lúcio Ribeiro é curador do Cultura Inglesa Festival desde a edição 15. Jornalista cultural, escreve sobre música para a Ilustrada, caderno de entretenimento da “Folha de S.Paulo”, onde também é colunista de “Esporte”. Edita ainda o “Popload”, o blog de música mais acessado do país, hospedado no portal UOL. Viaja o mundo todo cobrindo festivais de música desde os anos 90. É DJ residente de dois clubes em São Paulo e bastante requisitado para tocar no país todo.

 

 

.

Samir Yasbek

Dramaturgo e diretor teatral, Samir Yazbek consolidou sua formação com o diretor Antunes Filho. Escreveu O Fingidor (Prêmio Shell 1999 de melhor autor; distribuída pelo Ministério da Educação para 475.000 alunos da rede pública de ensino), A Terra Prometida (entre os dez melhores espetáculos de 2002, segundo o jornal O Globo), A Entrevista,O Invisível e As Folhas do Cedro (Prêmio APCA 2010 de melhor autor), entre outras. É organizador de Uma Cena Brasileira, da Editora Hucitec, coletânea de depoimentos de Eva Wilma, Laura Cardoso, Paulo Autran e Raul Cortez, entre outros. É autor de O Teatro de Samir Yazbek, lançado pela Coleção Aplauso, da IMESP, com a edição de suas peças O Fingidor,A Terra Prometida e A Entrevista. Foi ao ar pela TV Cultura, em parceria com a Rede SESC TV, o teleteatro Vestígios, que Yazbek escreveu e dirigiu, e uma adaptação de sua peça O Fingidor, que também dirigiu. Em 2012, Yazbek foi o primeiro dramaturgo latino-americano a estrear uma peça inédita (O Ritual) no National Theatre, de Londres. Atualmente, é ator do espetáculo Fogo-Fátuo, inspirado no mito de Fausto, de sua autoria, com coautoria do ator Helio Cicero, realizado pela Companhia Teatral Arnesto nos Convidou.

Soledad Yunge

Diretora teatral, produtora e arte-educadora. Formada pela Escola de Comunicações e Artes – ECA/USP, Desmond Jones School of Mime and Physical Theatre e Ecole Phillipe Gaulier em Londres. Dirigiu os espetáculos: “A Audiência” e “Vernissage”, ambos de Václav Havel, “A Dança do Universo” de Oswaldo Mendes, “Ele não é meu filho” de Phillipe Gaulier, “Autobahn” de Neil Labute entre outros. Seus espetáculos já foram contemplados com editais e receberem indicações e prêmios como Proac, Flávio Rangel, Shell e Femsa. Integrou as equipes de projetos como o Teatro Vocacional, Fábricas de Cultura e o Projeto Ademar Guerra.

 

Ubiratan Brasil

Jornalista formado pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Iniciou sua carreira como repórter de esportes, trabalhando em veículos de comunicação como a revista Placar (Editora Abril), Jornal da Tarde, Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo. Nesse período, cobriu duas Copas do Mundo de futebol e a Olimpíada de Atlanta. Está no Caderno 2 desde janeiro de 2000, iniciando como repórter até chegar à posição atual de editor do caderno. Na função, cobre os principais eventos relacionados à literatura, teatro e cinema, no Brasil e no exterior.

 

 

.

Angelo Brandini

Formou-se na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo, EAD/USP. Como ator, participou de dezenas de espetáculos com diretores como Cacá Rosset, Celso Frateschi, William Pereira, Fernando Guerreiro entre outros. No cinema, atuou em Paredes Nuas (de Ugo Giorgetti) Carandiru, (de Hector Babenco), Fim da Linha (de Gustavo Steinberg) Alô? (de Mara Mourão), A Reunião dos Demônios (de Cecílio Neto), Nelson (de Carlos Cortês). Atuou em novelas e especiais de TV na TV Cultura, Record e TV Globo. É autor das peças Masmorra, Vagalum Tum Tum , Queluzminha, Senhor Dodói, ( FEMSA 2008 de melhor texto adaptado), Othelito ( Prêmio APCA, 2007 de melhor texto adaptado, Melhor espetáculo do Cultura Inglesa Festival 2007, Melhor Texto Adaptado pelo Prêmio FEMSA, 2007). Faz parte desde 1994 dos Doutores da Alegria, onde é coordenador de criação. Criador, redator e intérprete do programa “Cidadania no Trânsito, Rádio Pára-Choque”, esquetes cômicas sobre trânsito na Rádio Eldorado, Prêmio APCA de inovação no rádio 2006.

Jackie Obrigon

Formada pela EAD/ ECA / USP – Fundou a Cia Bendita Trupe onde atua como atriz e produtora, na Cia com a direção de Johana Albuquerque realizou:, Assembleia dos Bichos;Tesouro de Balacobaco ; Espiral do Tempo, Piedade, Estrada, Miserê Bandalha e OS Collegas. Também é parceira dos Parlapatões , Patifes e Paspalhões, e participou dos espetáculos ,Não Escrevi Isto , Festival do Um Minuto-60 peças curtas edição 1 e 2, Ridículos Ainda e Sempre.Com Marco Antonio Braz fez A Alma Boa de Setsuan, A Falecida e Boca de Ouro . Atualmente em cartaz com o espetáculo TERREMOTA texto e direção de Marcelo Romagnoli, que ganhou o APCA 2012 de melhor texto infantil . Foi premiada com o APCA melhor atriz 2005; Coca Cola / Femsa de Melhor Atriz 2006, por Assembleia dos Bichos. E o prêmio Pananco/Coca – Cola de Melhor Atriz,2001, por Corda Bamba e Melhor Atriz Festivale 2004, por Os Collegas.

Tuna Serzedello

Ator, diretor, dramaturgo e professor. Fundador da Cia Arthur-Arnaldo da Cooperativa Paulista de Teatro (1996). É um dos coordenadores do Projeto Conexões de teatro jovem desde seu início em 2006. Atuou e dirigiu diversos espetáculos e recebeu indicações e prêmios como o Flávio Rangel, Miriam Muniz e Femsa entre outros. Foi membro da Comissão Julgadora da 16a e 17a edições da Lei de Fomento ao Teatro. Escreveu os textos “Zé Mané, Primazé e outro Zé”, “Pequena História do Brasil – 500 anos em 50 minutos”, “Videotape” entre outros. Atualmente dirige o espetáculo “Coro dos Maus Alunos” de Tiago Rodrigues vencedor do edital Proac – montagens inéditas – com a Cia. Arthur-Arnaldo.

 

Os trailers dos filmes desta do 17º Cultura Inglesa Festival

4 anos atrás ----- Blog

Tem cinema a rodo de novo no Cultura Inglesa Festival! Vamos ter uma mostra de rockumentários britânicos, mostrando cinco filmes que têm o rock e algumas bandas britânicas bem conhecidas do público como protagonistas, além da já clássica mostra que apresenta um panorama da produção cinematográfica contemporânea no Reino Unido.

Ah, e dentro da programação das exposições de Cultura de Rua, há a exibição de quatro filmes sobre o assunto, inclusive o incrível Exit Through the Gift Shop, do Banksy. Veja a programação completa de cinema aqui e os trailers abaixo!
. 

¤ Panorama do Cinema Britânico Contemporâneo

¤ Rockumentários Britânicos

¤ Cultura de Rua

 

Os britânicos que brilharam no Oscar

4 anos atrás ----- Blog

.
E novamente o Reino Unido fez bonito na festa mais famosa do cinema. 

Adele levou o Oscar de Melhor Canção Original, pelo seu single Skyfall, composta para o último filme de 007 (ouça a música abaixo). Que prêmio ainda falta a Adele ganhar, hein?

Mas o britânico que mais se destacou foi Daniel Day-Lewis, que interpretou Abraham Lincoln, o ex-presidente dos Estados Unidos, no filme dirigido por Steven Spielberg. O detalhe: é o terceiro Oscar do britânico nesta categoria. Ele se tornou o maior vencedor de todos os tempos! Tem até gente na Inglaterra se perguntando se ele é o maior ator da história.

Ah, e ainda teve o filme “Brave”, que levou o prêmio de melhor animação. Apesar de ser uma produção americana, conta a história de uma pequena escocesa que queria se tornar arqueira.

Se você estiver curioso pelo desempenho britânico no Oscar, veja este infográfico do Guardian que mostra o histórico de prêmios de melhor ator, atriz e filme para ingleses!

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=DeumyOzKqgI[/youtube]

Let’s Rock Together – Bonde do Rolê toca The Cure

4 anos atrás ----- Cultura Inglesa

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=wPqGoeLUZ_w[/youtube]

.
O Bonde do Rolê internacionalizou o “batidão” das favelas cariocas misturado ao rock, com bombásticos shows em festivais americanos e em clubes da Europa desde 2007, com o lançamento de seu primeiro album, With Lasers.

Agora muito além do funk, com uma energia sonora cheia de referenciais e significâncias, a banda lança Tropical/Bacanal, o segundo disco do trio.

A banda concorreu ao VMB 2012 nas categorias ‘melhor música’, ‘clipe do ano’ (com Kilo, esse acima) e ‘melhor banda’.

Para o 17CIF, eles vão misturar um pouco de gótico neste caldo, homenageando o The Cure, banda sensação dos anos 1980! 

.
[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=wa2nLEhUcZ0[/youtube] 

 

Let’s Rock Together – Jair Naves toca Joy Division

4 anos atrás ----- Cultura Inglesa

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=wFmYrpsFlFQ[/youtube]

.
Jair Naves tem aparecido em todas estas listas de melhores do ano – da revista Rolling Stone e Folha de S.Paulo a blogs de música alternativa – com seu novo álbum solo (cuja primeira música é essa acima).

As músicas novas trazem letras bem-acabadas, cruas e sinceras, características do cantor desde seus tempos de Ludovic, uma das bandas alternativas de rock mais celebradas da última década.

Com origens no pós-punk, Jair Naves mantém ainda os traços da agressividade de outrora, mas agora revela um compositor com raro tato para construir belas histórias em suas canções.

Para o 17CIF, ele resgatará seu lado punk rock para personificar Ian Curtis, o lendário frontman do Joy Division (a semelhança física ele já tem!). O Joy Division é dono de pelo menos dois dos maiores hinos da música britânica: Love Will Tear Us Apart e Transmission

.
[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=qHYOXyy1ToI[/youtube] 

Let’s Rock Together – Madrid toca David Bowie

4 anos atrás ----- Cultura Inglesa

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=sY8aLXrbbEc[/youtube]

.
Adriano Cintra e Marina Vello pertencem a gerações e cidades diferentes mas seus destinos se cruzaram quando duas de suas bandas atingiram o sucesso no exterior.

Adriano foi o arquiteto de ascensão do Cansei de Ser Sexy, enquanto Marina era uma das vozes do Bonde do Rolê, o improvável trio de funk carioca de Curitiba.

Meia década depois daquela época e já fora dos dois grupos, Marina e Adriano se reencontraram apaixonados pela canção e, no formato piano e voz, deixam para trás a juventude do indie pop para abraçar melodias e arranjos adultos, longe da pista de dança ou dos shows de rock.

Madrid já fez um tour pela Europa (França, Londres, Espanha e Portugal) no segundo semestre de 2012 e tocou nos principais festivais do Brasil como o Planeta Terra e Agreste In Rock.

Para o 17CIF, eles prometem versões especiais de ninguém menos que David Bowie, um dos maiores nomes da música britânica e ídolo de 10 em cada 10 fãs de boa música! 

.
[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=v–IqqusnNQ[/youtube] 

Brit Awards 2013: até a música inglesa saiu ganhando

4 anos atrás ----- Blog

.
Na cerimônia de premiação do Brit Awards, o principal prêmio da música inglesa que rolou nesta quarta-feira, os grandes vencedores da noite foram Mumford and Sons, Adele, Ben Howard e… o BritPop.

BritPop? É. Ontem tivemos o encontro de dois nomes que, há 10 anos, não poderiam permanecer no mesmo local sem trocar farpas. Noel Gallagher (ex-Oasis) e Damon Albarn (ex-Blur) tiraram fotos juntos (aí em cima), no maior clima de camaradagem. Nem parece que, em 1996, neste mesmo prêmio, o Oasis tinha preparado essa aqui: 

.
[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=FqAT2F2kNKc[/youtube]

.
Confira a lista de vencedores:

Best British Group
Mumford and Sons

Best British Album
Emeli Sande ‘Our Version of Events’

Best British Single
Adele ‘Skyfall’

Best British Female
Emeli Sande

British British Male
Ben Howard

British Breakthrough
Ben Howard

Best Live Act
Coldplay

Best International Group
The Black Keys

Best International Male
Frank Ocean

Best International Female
Lana Del Rey

.
E para terminar as polêmicas da noite, o mega conjunto teen One Direction apareceu com esse mash up a la música de Copa do Mundo de One Way Or Another, do Blondie e Teenage Kicks, do The Undertones. Tem direito à participação de David Cameron, primeiro ministro da Inglaterra. Não sabemos o que pensar ou falar sobre isso. E vocês? 

.
[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=36mCEZzzQ3o[/youtube]

Qual a cor favorita das inglesas na hora de se vestir?

4 anos atrás ----- Blog

.
Qual é a cor preferida das mulheres inglesas? Segundo uma pesquisa de um site de moda, elas são bem patrióticas nesta decisão!

A maioria prefere o azul e o vermelho, cores típicas do Reino Unido. E claro que as duas principais mulheres da família real não poderiam pensar diferente. Já apresentamos a escala pantone da Rainha Elizabeth II no Twitter. Nela, o azul domina!

.

.
E Kate Middleton, a Duquesa de Cambridge, também já demonstrou o seu amor pelo azul real. 

Veja mais sobre esta pesquisa no post do Molho Inglês!

Guitarrista do Smiths lança seu primeiro disco solo. Ouça!

4 anos atrás ----- Blog

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=d2W8aVDxeBY[/youtube]

.
O novo Deus da música, segundo o semanário musical britânico NME, é Johnny Marr! Está certo que de novidade, este guitarrista não tem nada. Ex-membro da lendária The Smiths, Marr abriu uma novo caminho no rock’n roll com seu estilo único de tocar guitarra na década de 80.

O menino que quase virou jogador de futebol trocou a bola pela guitarra cedo, e aos 13 anos já tinha uma banda. Depois de tocar com Morrissey, passou um bom período com outras bandas, incluindo Oasis, Happy Mondays, Pet Shop Boys… Veja a história deste músico na página preparada pela NME. 

Mas, apesar dessa rica história, seu primeiro disco solo, The Messenger, só será lançado este ano! E quer uma dica? É muito bom! Veja acima a música que dá nome ao disco. O disco foi liberado para primeiras audições neste link. Corre lá!!!