Web Content Viewer
Cultura Inglesa novembro 2011 – Blog – Cultura Inglesa

Mês: novembro 2011

TOP 5 – Frases de Noel Gallagher

6 anos atrás ----- Blog Top 5

.
Falar de Oasis é falar de uma banda importantíssima para o rock britânico. Com sete discos lançados, a banda definiu – junto com o Blur – o que entendemos por britpop. Mas nunca foi uma banda unânime.

Unanimidade, mesmo, é a capacidade do ex-Oasis Noel Gallagher como frasista. Polêmico e sincero, ele saiu do Oasis e veio para no nosso TOP 5 Frases de Noel. Voilà:

 Sobre ficar velho

.
“Estou virando um velho beligerante. É o normal. Quando você chega a uma certa idade, você acha que as opiniões das outras pessoas não interessam mais, e você fica meio desconfortável com seu lugar na vida moderna.”

Noel respondendo a uma pergunta relacionada à música Live Forever, do Oasis (“O homem que dizia que viveríamos para sempre envelheceu. Qual sua opinião sobre isto?”)

 Sobre o irmão

“Ele é rude, arrogante, intimidante e preguiçoso. É o cara mais raivoso que você pode conhecer. É como um homem com garfo num mundo de sopas”

Noel destratando seu irmão Liam. Grande parte do charme do Oasis era a postura beligerante entre os irmãos Gallagher…

 Sobre bandas não tão boas…

“A pior coisa sobre o Kaiser Chiefs é que eles não são muito bons. Eles tocam todo arrumadinhos e sentam no topo da insignificância. Eles não significam nada pra ninguém, a não ser suas namoradas horríveis”

Sem papas na língua, Noel frequentemente xingava bandas publicamente. Sobrou para o Blur, Coldplay, Radiohead, Kaiser Chiefs, Keane…

 Sobre rock’n roll stars

“Eu era um super-heroi nos anos 90. Eu disse isso na época. McCartney, Weller, Townshend, Richard… meus primeiros discos são melhores que todos os discos deles. Até eles admitem isso”

O homem que, em sua primeira música de seu primeiro disco já declarava que era uma estrela do rock ‘n roll sempre se colocou como um ícone.

 Sobre concertos beneficentes

“Não tenho certeza sobre esse Live8. Eles estão esperando que um destes caras do G8, num break de 15 minutos entre alguma reunião, vá ver a Annie Lennox cantando ‘Sweet Dreams’ e vai pensar: ‘porra, ela deve ter razão’. Não vai acontecer, vai?”

Apesar de criticar bandas que se envolviam diretamente com marcas e empresas, Noel também não era fã de concertos beneficentes. Na frase vencedora de nosso TOP 5, Noel destila toda sua ironia sobre o Live8

.
p.s.: Uma vez, Noel reconheceu que passou dos limites. Depois de dizer que desejava que os caras do Blur pegassem AIDS, ele pediu desculpas e depois revelou: “Uma das piores coisas que aconteceram comigo foi quando eu disse aquelas coisas sobre o Blur. Minha mãe me ligou e disse que estava bem brava e falou ‘Eu não te criei pra você sair falando assim por aí'”.

.
E para você? Qual a melhor frase do Noel Gallagher?

Que peça é essa da Agatha Christie que acaba de completar 60 anos em cartaz?

6 anos atrás ----- Blog


.

Em 1947, o pessoal da BBC perguntou à rainha Mary of Tech, rainha consorte de George V, o que ela gostaria de ganhar de presente para o seu aniversário de 80 anos. A resposta foi precisa: uma nova história da Agatha Christie.

Pois bem, a rainha do crime não decepcionou. Inspirada por um caso real, a morte do garoto Dennis O´Neill,  Agatha Christie criou “A Ratoeira”, uma peça radiofônica de 20 minutos, logo adaptada para o teatro pela própria escritora.

A primeira apresentação aconteceu no dia 25  de novembro de 1952 e, desde então, a peça não saiu de cartaz, tornando-se o espetáculo há mais tempo em atividade no mundo! A última sexta-feira marcou o início de seu 60º ano em exibição.

Já são mais de 24.587 apresentações no West End de Londres (a “Broadway” inglesa), com a participação de mais de 403 atores profissionais. Até a rainha Elizabeth foi conferir! E não deve parar por aí.

“Sessenta não é o final. Não vejo razão para a peça não continuar por mais 60 anos”, disse, em entrevista ao Guardian, o neto da escritora, que ganhou os direitos da peça em seu aniversário de 9 anos (mais um presente acertado da vó Agatha).

Para comemorar os 60 anos, a peça vai sair em turnê mundial e passará por lugares como China, Austrália, Rússia, África do Sul, Venezuela, Estados Unidos e Canadá. Brasil, infelizmente, ainda não está na rota. Mas vamos ficar de olho.
.

Cuidado com spoilers!

Ao final de cada espetáculo, um pedido é feito ao público: que o final da história não seja contado para ninguém. A escritora sempre ficava chateada quando via o mistério sendo revelado em alguma crítica. A Wikipedia, no entanto, quebrou o pacto, em um episódio que gerou críticas dos fãs e da própria família de Agatha Christie. (Fica a dica: se quiser manter o suspense, ignore o artigo.)

O britânico que dirigiu a primeira ópera rock de todos os tempos

6 anos atrás ----- Blog

No último domingo, morreu aos 84 anos o diretor britânico Ken Russell.

Russel foi um craque. Entre os seus trabalhos, destacam-se “Mulheres Apaixonadas”, indicado ao Oscar em 1969, além de “Lisztomania”, sobre o compositor Franz Liszt.

Porém, a sua obra mais famosa é bem conhecida pelos roqueiros. Trata-se da ópera-rock “Tommy”, do grupo inglês The Who.

O diretor adaptou o disco conceitual para as telas grandes com um elenco de peso, que contava com Elton John, Eric Clapton, Tina Turner, Jack Nicholson, entre outros, além dos integrantes da banda The Who.

Nascido em Southampton, em 1927, o diretor era entusiasta da música e deixou uma obra imperdível para cinéfilos e fãs do rock. Em homenagem a ele, ficamos com a performance impagável de Elton John no clássico Tommy.

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=cySnG42s0lE[/youtube]

Guitarrista do The Clash vai reviver a banda nos palcos

6 anos atrás ----- Blog

Mick Jones, ex-guitarrista do The Clash, anunciou que se juntará com Bobby Gillespie (Primal Scream), James Allan (Glasvegas), James Dean Bradfield (Manic Street Preachers), além de outros músicos para seis shows.

Para os fãs de rock, já seria boa notícia o suficiente, certo? Mas não para por aí! Eles levarão músicas do The Clash aos palcos!

A notícia saiu na última sexta no Guardian. Confiram na íntegra: http://www.guardian.co.uk/music/2011/nov/25/mick-jones-clash-songs-tour

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=16u0wwCfoJ4[/youtube]

Uma ida ao museu para… jogar videogame

6 anos atrás ----- Blog

.

.

Entrar na Game On, a exposição que está em cartaz no Museu da Imagem e do Som, é realizar o sonho de qualquer um que cresceu jogando videogame.

Realizada pelo Barbican Centre de Londres, em 2002, a mostra que chegou agora ao Brasil trazida pela Cultura Inglesa traz uma panorama da evolução dos games ao longo dos último 50 anos – e, mais importante, as máquinas que fizeram parte dessa história.

[youtube width=”640″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=-jbUWfS-hfw[/youtube]

Você conhecerá o Spacewar (o primeiro videogame de todos os tempos), as máquinas que ocuparam os bares na década de 70 e deram origem às primeiras casas de games, os primeiros videogames caseiros e relembrará os jogos que surgiram nos últimos anos.

Algumas raridades estão por lá, como a estreia do Mario, ao lado do Donkey Kong, e os primeiros videogames da Nintendo.

O monitor que nos acompanhou na visita, Rafael, um dos aficcionados por games, contou que até viu um senhor chorando de emoção ao encontrar o videogame que jogava na infância.

Ele tem outras histórias e algumas boas curiosidades para contar sobre as máquinas (você sabia, por exemplo, que o famoso bigode do Mario naceu de um mero acaso?). Aproveite!

No vídeo acima, trouxemos algumas das mais de 120 maravilhas que você vai encontrar por lá. Assiste, vá e jogue!

 

Game On

Museu da Imagem e do Som  – Av. Europa, 158

Ingresso: R$ 4

terça a sábado, das 12h às 19h

domingos e feriados, das 11 às 18h

em cartaz até 8 de janeiro de 2012

.
Aluno da Cultura Inglesa tem entrada grátis com acompanhante na segunda-feira, dia 28/11! Basta se inscrever aqui.

Exclusivas de Rolling Stones e Coldplay no novo Google Music

6 anos atrás ----- Blog

[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=NI8rQEHoE24[/youtube]

O Google resolveu dar mais um passo em direção à música, e anunciou nesta semana a criação do Google Music. O objetivo é facilitar a sincronização das músicas entre todos os dispositivos (computadores, celulares e tablets) de um usuário.

Com o lançamento, os fãs de duas grandes bandas britânicas recebem grandes notícias. Estão disponíveis na Android Market um show exclusivo dos Rolling Stones, de 1973, além de uma música inédita do Coldplay.

O serviço do Google se integrará com a loja virtual da Android e disponibilizará mais de 13 milhões de músicas de gravadoras importantes, como a Sony, além das independentes Matador Records, Merge Records, entre outras.

Segundo os criadores, o objetivo do serviço, ainda restrito aos Estados Unidos, mas que em breve estará por aqui, é fazer com que as pessoas passem mais tempo ouvindo música e menos organizando playlists e bibliotecas.

E para quem tem conta na rede social Google+, a outra boa notícia é que as músicas compradas na plataforma podem ser compartilhadas (uma vez) com os amigos através da rede social.

TOP 5 – Bandas dos ex-Beatles

6 anos atrás ----- Blog Top 5

 

Mesmo depois dos Beatles, os quatro integrantes do “Fab Four” tiveram uma produtiva carreira musical. O nosso Top 5 dessa semana é com as cinco melhores bandas dos ex-Beatles!.

Paul & Linda McCartney

Logo após o fim dos Beatles, em 1970, Paul McCartney ensinou sua mulher a tocar piano. A parceria musical dos dois começou em 1971, com o lançamento do álbum “Ram”, o primeiro de Paul após o término dos Beatles e o único disco da dupla. Nos anos seguintes, a parceria dos dois evoluiu e eles formaram a banda “Wings”, convidando outros músicos para os próximos trabalhos. Veja o clipe fofo dos dois para a música Uncle Albert, do álbum “Ram”:[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=XI6C7L66zq8[/youtube]

Ringo Starr and his All Starr Band

A banda que acompanha Ringo Starr nos palcos mudou durante os anos, mas sempre partiu da mesma premissa: “Todos  são uma estrela por seus próprios méritos”, nas palavras de Ringo. Formada em 1989, a banda já passou por 11 formações. Ao vivo, a fórmula apresentada são músicas dos Beatles mescladas com músicas de cada um dos integrantes da banda, inclusive as composições próprias de Ringo. Veja uma performance do grupo:[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=FXCFIHjebd8[/youtube]

Plastic Ono Band

John Lennon e sua mulher Yoko Ono conceberam a Plastic Ono Band em 1969, quando John ainda fazia parte dos Beatles. A banda chegou a contar com a participação de Eric Clapton, Alan White (que depois se tornaria baterista do Yes), Keith Moon, entre outros! Hits como Give Peace a Chance, Imagine e Cold Turkey estão na lista de gravações desta superbanda! Confira um pedaço do show histórico da banda realizada em Nova York:[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=S8GOIsmzVkI[/youtube]

Wings

Se você já se pegou cantarolando “Band on the Run”, ou se lembra como se fosse ontem a primeira vez que ouviu “Live and Let Die”, sabe que o projeto de Paul McCartney e sua mulher produziu inúmeros hits e grandes composições. A segunda posição vai para esta banda que faturou diversos Grammys e outras premiações, se consagrando como um dos grupos mais importantes dos anos 70.[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=KBX2dySWGew[/youtube]

The Traveling Wilburys

Quando uma banda termina, a tendência é que seus membros partam para uma carreira solo, certo? Mas e quando estrelas solitárias se unem com um ex-Beatle para formar um “dream team” do rock? Para quem não conhece este grupo, trata-se de George Harrison tocando com Bob Dylan, Roy Orbison (aquele de “Pretty Woman”) e Tom Petty. É bom ou quer mais?[youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=L8s9dmuAKvU&ob=av2e [/youtube]

.
Listas que envolvem Beatles sempre terminam em polêmica! Qual das bandas acima é sua favorita?

Tour de bike (na madrugada!) para ver os grafites de East London

6 anos atrás ----- Blog The Insider The Insider

por Milo Steelefox, de Londres*

It was a typical spring day in London, a Saturday, and I cycled south of the river, all the way to Peckham for about 12 o’clock, for it was my friend’s birthday.

On the way back to the city centre I swung by The Hayward Gallery at the Southbank Centre to catch a 24-hour presentation of a film called The Clock, by Stephen Marclay.

It’s basically a running montage of normal movies, made up of small snippets of feature films, and the catch is that every time you see a clock or a watch it’s always in realtime (the time on screen is always the same as the actual time! – simple, but mesmerising).

But realising time was indeed ticking on, I decided to make a move to go and meet some more friends who’d invited me to go on a cycling graffiti tour at 5 o’clock. I know, what a cool idea huh!

Gathering near Old Street, we were sent off in small groups to follow blue arrows sprayed on the road, equipped with an iPod and a map, so that we could stop at designated points and listen to short commentaries by graffiti artists which provided some background information about the spot, neighbourhood, or specific artist, style, tag, or piece of street art.

It was an amazing experience, truly bringing the streets of East London to life, feeding our imaginations and understanding of what it all means.

And we passed through the iconic neighbourhoods of Shoreditch, Hoxton, Bethnal Green, Dalston and Hackney, then made our way along the canal to the final meeting point, in a cafe opposite the Olympic site, to reflect upon the tour and share feedback with the organiser.

Now, if you’ve been paying attention you’ll notice my references to times do not define AM or PM, but I thought I’d spell it out that this was all done during the night, from 11pm-9am! When my friend asked me a few days prior: “do you want to come on a cycling graffiti tour at 5am”, the novelty was too great, I simply had to say yes!

London is no ‘city that never sleeps’, like NY, but it does like to stay up late every now and again.

Find out more about the graffiti project here: http://undercurrentdesign.com/writingsonthewall/

.

GLOSSARY

  • I swung by : I went somewhere, ‘dropped by’, ‘dropped in’.
  • Snippets : little bits/parts
  • The catch: the interesting part, the twist
  • Time was ticking on: again, time passing quickly
  • To make a move: to leave, to get out of somewhere
  • Tag: a signature mark a graffiti artist may use
  • Spell it out: make it clear, to explain something

Como se veste um espião que se preza?

6 anos atrás ----- Blog

Vários filmes de espiões britânicos estão a caminho!

Além do tão aguardado “Skyfall”, o novo filme do 007 previsto para novembro de 2012, em dezembro estreiará o filme “Tinker Tailor Soldier Spy”, inspirado em romance do grande escritor inglês de suspense e espionagem John Le Carré.

O filme mostra a história de um agente aposentado do MI6 (serviço secreto britânico) que volta à ativa para desmascarar um agente soviético infiltrado na agência.

Grande parte do charme do filme fica com a caracterização dos espiões e de seu mundo. Afinal de contas, como se veste e como agem as pessoas que não podem ser vistas ou descobertas?

O fato é que os filmes retratam estes soldados anônimos com um glamour e um charme sem precedentes.

Ficamos pensando aqui… que vestimenta caracteriza um bom espião?

Alguns itens que não podem faltar no guarda-roupas e na garagem de quem combate criminosos e conspirações com estilo:
.

Dinner-jacket: item principal para festas e cerimônias chiques, o paletó preto estilo dinner-jacket permite que o espião se misture entre os inimigos e mantenha a classe enquanto luta pela segurança da nação. Afinal de contas, todos sabemos que vilão gosta mesmo é de frequentar lugares finos e jogar pôquer em cassinos caríssimos. Então, para combater o crime, é preciso manter a pose – não importa se durante uma aposta ou no meio de um tiroteio!

Sobretudos e capas casuais: Na hora de perseguir alguém pela madrugada, nada melhor que um sobretudo para aguentar o frio. Mas nada que se destaque. O espião tem que parecer uma pessoa normal, acima de qualquer suspeita. Outra dica que é útil além de charmosa é o chapéu. Além de esquentar a cabeça, esconde o rosto do agente, que se identificado pode acabar com toda uma investigação.

Gadgets e outras engenhocas: Se você acha que o auge dos gadgets são os mais modernos smartphones, está enganado! Os espiões sempre possuem um item eletrônico inusitado para ajudar nas suas missões. Não se engane: ninguém levará a sério um agente que não tenha pelo menos um destes itens. Além de práticos, eles devem ser discretos, naturalmente.
.

Meios de transporte inusitados: Apesar do charme inegável dos ônibus e do metrô londrino, um espião não pode contar apenas com o transporte público. Como quase ninguém pode bancar um Aston Martin DB5 (modelo preferido de 007), que tal dar aquela customizada na sua bicicleta?

.
E para você? Qual o principal item que não pode faltar para um agente secreto estiloso?

Que filme é esse? Um clássico de Kubrick por trás dos pixels

6 anos atrás ----- Blog

Quem acompanha o blog aqui sabe que soltamos quinzenalmente um “cinequiz” na fanpage da Cultura Inglesa.

No primeiro desafio, colocamos uma cena pixelada, quadriculada, misteriosa do clássico “Festim Diabólico”, do diretor britânico Alfred Hitchcock. E desta vez o escolhido foi…
.

 

Sim, Barry Lyndon, um filmaço de Stanley Kubrick. O longa conta a história de Redmond Barry, um fazendeiro irlandês que se envolve com a viúva (e rica) Lady Lyndon e se dá mal.

Na época do seu lançamento, em 1975, Barry Lyndon não teve uma recepção unânime junto ao público e à crítica, mas hoje é considerado por gente grande (como Martin Scorsese) o melhor filme do Kubrick.

E a ganhadora do mini-quiz foi Cris Nick, que respondeu em incríveis 5 minutos.

Para quem não participou, fiquem atento na fanpage pois logo mais tem mais!  [youtube width=”650″ height=”344″]http://www.youtube.com/watch?v=dZGPy4C2XVw[/youtube]

Uma curiosidade: essa cena que você vê no vídeo acima foi gravada apenas com as luzes das velas mesmo. Kubrick fez questão de desenvolver uma lente adaptada da Nasa para que o filme todo pudesse ser gravado apenas com a luz natural.